o espaço das minhas coisas

Sexta, 01 de Novembro Meus escritos por Casa do Bem

Casa do Bem e Fogo & Chama

Uma linda ação social O Fogo £ Chama da família Gallindo, fez uma ação onde cada sanduíche adquirido, gerava um clone social. Entre algumas ONGs, elegeu Casa do Bem e liberou 100 sanduíches. Fomos e gostamos. Jovens adoraram. Sanduíches degustados. Tudo aprovado. Ouvimos palavras lindas, saímos felizes. Luzzzzz e gratidão.

Quinta, 31 de Outubro Meus escritos por Flávio Rezende

Escritos da Alma - o domo que brilha no céu do Pium

Acordo mantendo a tradicional alegria e com o bom humor presente. Tentando fumegar e tomar café ante a presença do pequeno pet Duke, que teima em querer atrapalhar com sua ânsia de atenção e carinho, o deslocar entre um afazer e outro, consigo alimentar o corpo e organizar CANON e lentes, para nova incursão fotográfica e astral.

Desta feita joguei corpo no mundo do Pium, onde tempos atrás, na companhia do parceiro no bloco Cores de Krishna, Nithay Chand, andamos percorrendo espaços do local, nessa minha nova missão de - uma vez aposentado, me voluntariar em inventariar com fotos, as ruas, os becos, as manifestações, o meio ambiente, pessoas, praias, bairros e demais babados, de Natal, adjacências e Planet Terra, brechando situações, eternizando vivências e revelando ângulos miiiisss.

Meu movimento neste universo é leve, livre, não tem motivação financeira, nem interesse nenhum, apenas fluo, feliz em ser útil, animado em estando disponível e já resolvido em várias vertentes, servir de moldura para expor o que nos é: realidade. E como de Pium já havia extraído as frutas, praias e urbanidades, vi brilhar no alto, um domo, aí lembrei de um amigo que havia me enviado fotos de lá.

Curioso instiguei Nithay, estabeleci contatos e partimos para fotografar o lugar. Lá, no alto, perto da penitenciária de Alcaçuz, brilha um espaço chamado de Siddha Ashram do Brasil, onde o mestre espiritual Swami Nardanand aparece vez ou outra para relaxar, meditar e até compartilhar suas sapiências, como fará agora, de 2 a 17 de novembro, inserindo os interessados no universo da meditação Shakitpat.

O iogue de renome internacional com vivência em Pium, "nasceu em 1958 numa pequena aldeia agrícola do Estado de Uttar Pradesh, no norte da Índia, tendo sido iniciado na Siddha da Maha Yoga. Como cientista e médico ayurveda ele combate diferentes tipos de doenças na Índia, tais como malária, dengue, shikungunia, febre amarela, câncer, etc. A partir de 2011 ele se dirige ao ocidente transmitindo e compartilhando seus conhecimentos às pessoas que tem uma profunda curiosidade pela Verdade.

Com o objetivo de ajudar a elevar novas consciências para o Despertar da Verdade interior." Aqui recebeu apoio da devota Swami Satya Maa, que concretizou seu lugar em Pium. Estive lá, o guru chega amanhã, sua atividade vai começar mais uma vez em nosso solo. Vi um recanto bem cuidado, flores, frutos, espaços para práticas, alojamentos, seu quarto, não tive dificuldade para fotografar, fiquei a vontade, o caseiro Francisco me deixou livre, junto com Nithay. Sai feliz, desejo boa sorte ao Swami Nardanand e seus devotos/buscadores, gratidão ao caseiro e gestores do lugar.

Para quem quiser ver as fotos realizadas, o link é: https://m.facebook.com/story.php?story_fbid=2498061656976633&id=100003184684219 Temos em nosso RN muitos lugares mágicos, naturais, criados, estou disponível, podem me provocar.

Que situação, rapá... Flávio Rezende aos trinta e um dias, mês dez, ano dois mil e dezenove. 12h49, Pium. 

Domingo, 27 de Outubro Meus escritos por Flávio Rezende

Escritos de Ponta Negra - Uma rua chamada Corrupio -

Nossa existência é uma maternidade de possibilidades em todas as áreas. Podemos vivenciar alimentos, paisagens, memórias e produzir histórias em textos e imagens, e até em vídeos. Nascido na nova arte de fotografar fico encantado com o que vejo e extasiado com o que percebo eternizado.

E em sendo assim, cada convite é um mergulho na amniose da ligação cósmica com a mãe natureza, ou com os objetos criados e até com as pessoas retratadas.

O passaporte hoje veio carimbado pela ativista social, mestre culinarista, alma boa de genética Nathy Passos, num chamado para ver/estar/registrar os cantos e recantos e seres da rua do Corrupio, coração pulsante e veia energizante da alternativa e cheia de magia, Vila de Ponta Negra.

E a viagem ocorreu, detalhes, sorrisos, números de casas, becos, vielas, comércios, animais, ofícios e viventes usufrutuários deste espaço real, penetraram na lente sigma 50-500 da CANON Rebel e, eis o resultado vivo e ativo no coração e na observação de todos os que são história, e todos os que são platéia, nesse enredo sem fim de uma linha que só tem sentido, quando alguém estica, e pendura, todos os momentos da existência de uma simples: rua.

E a rua é o bairro, a cidade, o país, o continente, hemisfério, planeta. A rua é quem nela reside, passa ou apenas testemunha sua sina. Corrupio é o micro, do macro, o fiel retrato de tudo quanto possa existir, no até hoje que criamos, que amamos, que emprestamos sentido para ser.

Grato Nathy, a rua onde mora, cabe em sua pequenez geográfica, nossa totalidade fotográfica, nossa global existência, memória, cabe toda nossa história.

LuZzzz. Flávio Rezende aos vinte e sete dias, ano dois mil e dezenove, 12h15. Rua do Corrupio. Vila de Ponta Negra. 

Domingo, 27 de Outubro Meus escritos por Flávio Rezende

Escritos de Ponta Negra - Uma rua chamada Corrupio -

Nossa existência é uma maternidade de possibilidades em todas as áreas. Podemos vivenciar alimentos, paisagens, memórias e produzir histórias em textos e imagens, e até em vídeos. Nascido na nova arte de fotografar fico encantado com o que vejo e extasiado com o que percebo eternizado.

E em sendo assim, cada convite é um mergulho na amniose da ligação cósmica com a mãe natureza, ou com os objetos criados e até com as pessoas retratadas.

O passaporte hoje veio carimbado pela ativista social, mestre culinarista, alma boa de genética Nathy Passos, num chamado para ver/estar/registrar os cantos e recantos e seres da rua do Corrupio, coração pulsante e veia energizante da alternativa e cheia de magia, Vila de Ponta Negra.

E a viagem ocorreu, detalhes, sorrisos, números de casas, becos, vielas, comércios, animais, ofícios e viventes usufrutuários deste espaço real, penetraram na lente sigma 50-500 da CANON Rebel e, eis o resultado vivo e ativo no coração e na observação de todos os que são história, e todos os que são platéia, nesse enredo sem fim de uma linha que só tem sentido, quando alguém estica, e pendura, todos os momentos da existência de uma simples: rua.

E a rua é o bairro, a cidade, o país, o continente, hemisfério, planeta. A rua é quem nela reside, passa ou apenas testemunha sua sina. Corrupio é o micro, do macro, o fiel retrato de tudo quanto possa existir, no até hoje que criamos, que amamos, que emprestamos sentido para ser.

Grato Nathy, a rua onde mora, cabe em sua pequenez geográfica, nossa totalidade fotográfica, nossa global existência, memória, cabe toda nossa história.

LuZzzz. Flávio Rezende aos vinte e sete dias, ano dois mil e dezenove, 12h15. Rua do Corrupio. Vila de Ponta Negra. 

Domingo, 27 de Outubro Meus escritos por Flávio Rezende

Reflexão de Flávio Rezende

Escritos da Alma - sempre podemos fazer o bem 

 Essa coisa de gostar de ajudar, fazer o bem, é interessante. Nasce em alguns como entranha. Reside lá dentro. Está no fundo, no espaço mais profundo. Existe naturalmente, resiste a críticas, ao tempo, as questões políticas e metafísicas. Simplesmente ocorre, sem explicação plausível ou filosofia preexistente. Quando jovem via meu pai encher três carrinhos no Mini Preço. 

Tudo era aloprado, compras para o mês. Quando o pedinte apitava a cigarra, dava. Achava que não se sentiria a falta. Quando aluno do pré, a grana do lanche pagava a minha e a do carente. Não me faltava e ele ficava contente na vendinha da esquina. Uma vez já assalariado, dividia. Nunca me faltou e do irmão nunca esqueci. Já maduro, fundei uma ONG. 

Empoderei ajudas, elevei ações, potencializei humanismo. Cansado mudei foco, da família observei presença e hoje, como fotógrafo, arrumo um jeito de fazer o bem. Na verdade em tudo que faço, busco espaço para ampliar cidadania, inserir benefícios, gerar amor. Se arrancar dentes, faça algum de graça. 

Caso advogue, por alguém encaminhe processo. Sendo engenheiro, faça um projeto voluntário e, como jornalista, preste assessoria para entidades. Busco no meu cotidiano atendimentos, exames, consultas, deposito para cirurgias em animais, rifas de doenças, causas ambientais. Temos muitas oportunidades para servir, fazer o bem, fazer a diferença. Não seja acanhado, desanimado, amargo. 

Seja vivo, ativo, um ser amigo. Flávio Rezende aos vinte e seis dias, décimo mês, ano dois mil e dezenove, 22h28. Luzzz 

Sexta, 25 de Outubro Meus escritos por Flávio Rezende

Destino São Miguel do Gostoso com novas opções de lazer, alimentação e serviços

O crescimento do destino São Miguel do Gostoso impressiona. Estamos sempre percebendo a escolha da aprazível  cidade para a realização de festivais de música, rally, viradas de ano, além de construções a olhos vistos em todos os cantos e recantos.

Para atender bem os turistas que chegam de várias partes do Brasil e do exterior, empreendedores vão montando suas estruturas e ofertando serviços.

Um grupo liderado pela WindCab Agência de Turismo, formatou um famtour/presstrip com guias de turismo, agentes de viagens de Natal e jornalistas, mostrando o novo passeio de Tratrem com trio sanfoneiro até a praia de Tourinhos, as delícias e variedades do restaurante Recanto Caipira e a opção de transfer entre as praias por jardineiras.

A Secretaria de Turismo de São Miguel do Gostoso deu apoio a iniciativa, com as fotos feitas por Canindé Soares estando disponíveis no link: https://canindesoares.com/famtour-do-descobrimento-leva-jornalistas-e-guias-para-sao-miguel-do-gostoso, enquanto as minhas podem ser acessadas pelo https://www.facebook.com/flavio.resende.5/media_set?set=a.2484238088358990&type=3

Serviço:

- Restaurante Recanto Caipira – inf. 84.98716-1034

- Tratrem – 84. 99609-9597

- Jardineira Tour – 84.99973-3320

Domingo, 29 de Setembro Meus escritos por Flávio Rezende

Escritos de Ponta Negra - orla da felicidade e da escolha pelo belo

 Mais uma vez acordo com os mesmos sentimentos interiores de felicidade e desejo ardente de jogar o corpo no mundo, de vivenciar sensações agradáveis, compartilhar bom humor, agregar energia positiva a meu caminhar e proporcionar um pouco de alegria com quem cruzar.

Depois de curtir/gostar/agradecer pelo que comer, chego na orla de Ponta Negra disposto a relevar o feio e ressaltar o belo, fazer vista grossa para o errado e focar lente no positivo, sabendo que outros podem trazer à vista o que relevei, ficando feliz, com o que mostrei.

Mergulhado neste êxtase de ser profundo na luz que embeleza a flor, na prestação de serviço com imagens a quem não dispõe de equipamento bom, compartilho meu tempo tirando fotos dos ambulantes e mandando para seus zaps, formando uma egrégora hiper astral de alegria conjunta, além de encontrar amigo(a)s, e também com eles permutar carinhosas considerações e, pedir espaço para mandar um retrato - deles em família, ampliando felicitação e gerando tsunâmica interação, em copulação agradável e socialmente perfeita.

Eis o nirvana budista, a comunhão cristã, o samsara hindu, estes momentos em que celebramos tudo que nos cerca, e cheio de amor neles, arranjamos um jeito de ser útil, e no falar agregar valor, somando com todos os envolvidos, a totalidade carismática e divina de tornar a existência cheia de bons sentidos e de maravilhosos deleites. Agradecer, servir, ter um olhar carinhoso, um agir bondoso, e também exercer a crítica, estar atento aos espertos, atuar contra malígnos, eis muitas coisas possíveis e factíveis para cada um de nós.

A natureza é comum a todos os mundos, estando dentro e estando fora, precisa de pontes, compreensões. Uma vez percebida, é puro ouro, ferro, flor, planta, é Maria, é João, energia, é união. Que situação, rapaz...

Flávio Rezende aos vinte e nove dias, nono mês, ano dois mil e dezenove. 11h59. Praia de Ponta Negra. Mais no www.blogflaviorezende.com.br