o espaço das minhas coisas

Segunda, 23 de Março Meus escritos por Flávio Rezende

Escritos da Alma - o vácuo físico e o espaço imaterial

Acordo cheio de energia depois de dias de Netflix, convivência familiar, padaria, delivery e, visto minha carapuça de jornalista, compreendendo o momento histórico, onde nunca antes na história do planeta Terra houve uma retração humana tão intensa, a nível global, lembrando que pontualmente por causa de guerras, terrorismo e até vírus, ocorreram restrições pontuais geográficas.

Agora não, o tal Corona avançou de tal forma que ampliou babado e obrigou sapiens a voltar as cavernas. Devidamente abrigado no recôndito dela, empunhou escudo contra perigo invisível, acreditou nas recomendações e tratou de se acomodar no lar. Mas o momento é mágico, diferente, nunca antes experienciado, é a volta ao ventre verdadeiramente global, a primeira experiência planetária coletiva de reconhecimento sem contestação. Vai ter problema econômico, fome, desemprego, mil e uma dificuldades, vai sim, mas ninguém em sã consciência pode dizer não as decisões governamentais.

Apesar disso, cremos que passará, aí entra o papel do jornalista, do fotógrafo. Assim como estamos nas guerras, no meio das balas perdidas, devemos estar registrando o vácuo, as ruas vazias, os médicos na luta. Sem nós não existirá memória, história, a prova cabal, a comprovação incontestável.

Me somo - apesar do perigo, ao exército do bem dos memorialistas, dos jornalistas, cinegrafistas, produtores, e tantos outros documentaristas da vida em movimento. Acordei cedo, registrei praças, ruas, avenidas, praias, sem me aproximar de pessoas, mantendo distância, obedecendo regras, para poder ofertar um pouco de história, de onde vivo, uma cidade pequena, esquina do continente brasileiro, Natal, num dia quente, de muito sol, vi policias trabalhando, natureza intacta vibrando, espaços urbanos sem movimento, vi a vida de maneira nunca antes vista. Sigamos e estando vivo e saudável produzo, deixo história, memória, algo que pode a alguém servir. No meu Facebook posto um álbum com as fotos deste tour fotográfico histórico. Luzzzzz.

Flávio Rezende aos vinte e três dias, terceiro mês, ano dois mil e vinte. 13h56. Praia de Ponta Negra

 Link do álbum: https://m.facebook.com/story.php?story_fbid=2807663046016491&id=100003184684219

Domingo, 15 de Março Meus escritos por Flávio Rezende

Escritos de Ponta Negra - orgasmos múltiplos no processo fotográfico -

A imersão inesperada - não programada e totalmente fantástica no universo da fotografia, ocorrência que trago e agrego a meu ser, é um desses babados que podemos creditar as coisas off lógica e que - uma vez ocorrendo, devemos celebrar e aproveitar.

Historiando para quem não sabe, me descobri fotógrafo quase adentrando sessentanos, sem nenhuma formação, informação na área, me amostrando neste mister por causa do olhar, clicando, publicando e agradando, me possibilitando assim avançar, ir, prosseguir, e indo, fluindo, participando, clicando, as coisas foram acontecendo.

Apesar da ignorância técnica, prêmios surgiram, elogios, exposições. Depois passei para fase de vendas, mandando emoldurar, pensando em lojas, exposições, mais concursos, entrei em grupos de zap, Facebook, comecei a receber elogios, fiquei feliz demais, satisfeito com receptividade, consciente das limitações fui indo, ousando, mas sempre fotografando.

Hoje estou mergulhado no êxtase de ser feliz fotografando, transferindo para tratamento, postando, interagindo com apreciadores, expondo, vendendo, participando de concursos, enfim, migrei de uma aposentadoria que poderia desaguar num mar de calmaria, para o vulcão do universo fotográfico.

E nele vivo, ativo, cheio de novas perspectivas e possibilidades navego, deixando pessoas usarem minha câmera para tirarem fotos e assim ficarem felizes, entregando fotos para pessoas carentes as terem em suas casas de graça, participando de muitas coisas, enfim, a fotografia empoderou minha vida como nunca. Viva, festejemos, celebremos, luzzzz.

Flávio Rezende aos quinze dias, terceiro mês, ano dois mil e vinte, 13h22. 

Domingo, 08 de Março Meus escritos por Flávio Rezende

Feliz com foto destacada no Lentes do Mundo

Inúmeros grupos de fotografia com milhares de participantes de todo o planeta, premiam algumas fotos que se destacam.

Apesar do pouco tempo como fotógrafo e de ainda não dominar técnicas e nem seguir escolas, venho obtendo alguns reconhecimentos e até vencendo alguns concursos.

Estou em Miami e ontem fui conhecer Key West, ponto mais próximo de Cuba. Com a amiga @deniseschneider2847 paramos para tirar umas fotos numa vila de artesanato e eis que faço esse clique, premiado no Lentes do Mundo.

Felizzz e estimulado sigo. Arrocha o colorau... Luzzzzz

Domingo, 23 de Fevereiro Meus escritos por Flávio Rezende

Escritos da Alma - um carnaval de êxtases

O carnaval em Natal cresce substancialmente em elogios, tranquilidade, organização, atrativos e boa folia, com blocos diversos, divertidos, políticos, culturais, religiosos, que compartilham com nativos e turistas uma infinidade de possibilidades foliãs. Aqui em Ponta Negra, onde balanço esqueleto e ponho meus neurônios em intensa energia momesca, dei partida a minha folia na sexta, curtindo o Praia Shopping e o bloco Bode Expiatório.

Olhando as pessoas felizes, a banda afinada, ambulantes retirando o ganha pão, a mente iniciou um processo de felicidade interior tão intenso, que quando a banda deu pit stop no Curió, mergulhei num transe fantástico, que chorei emocionado com aquele conjunto de acontecimentos, música feliz, pessoas contentes, trabalhadores lucrando, cores, diferenças em geral naturalmente abraçadas, uns esculhambando 38, outros gritando "mito", mas ninguém se estranhando, a felicidade perpassando a folia e a alegria reinando e governando cada um ali presente.

Já no bloco que dirijo com Radha e Nitay, o Cores de Krishna, o êxtase inigualável de ver/ouvir/sentir milhares de pessoas cantando Hare Krishna, fazendo acenos positivos, elogiando, aplaudindo, celebrando nossa passagem.

E ali no meio de tudo, meus filhos, esposa, uma mana e até Duke, um dos nossos pets, podendo meus neurônios em mais um mergulho no universo do nirvana interior, regosijar-se com presenças tão especiais para meu ser.

Tantas outras alegrias e contentamentos essa festa proporciona, como encontros e reencontros, amizades são reforçadas, divergências pontuais compreendidas, muitos beijos, abraços, carinhosas palavras.

Se fizermos do carnaval uma ponte para o bem, atravessaremos felizes e contentes muitas ruas, becos e avenidas, cantando, vivendo, sorrindo e celebrando de maneira positiva essa nossa prazerosa passagem material. Feliz carnaval do bem para todos. LuzZzzz

Flávio Rezende aos vinte e três dias, segundo mês, ano dois mil e vinte. 7h43. 

Domingo, 23 de Fevereiro Meus escritos por Flávio Rezende

Cores de Krishna agradece

Gratidão a @alexandreatmarama @carloszens, Jamuna, @vrindavanadasa @unimednatal @amaurynatal, Antônia Zens, Maestro Natan e seus jovens do Pium, Lei de Incentivo à Cultura Djalma Maranhão, @daciogalvao @alvarocostadias @fabiomacedorn @praiashopping @idearteproducoes @samosaria_hare e devotos de Krishna voluntários.

Diretores do Cores de Krishna:

Flávio Rezende Nitay Chand Radha Gopali

Sábado, 22 de Fevereiro Meus escritos por Flávio Rezende

Hoje tem Cores de Krishna no carnaval polo Ponta Negra

Bom dia, um sábado carnavalesco, ao qual convido todos para o bloco Cores de Krishna, que sai no polo Ponta Negra com os detalhes abaixo: - concentração a partir das 15h30 na Samosaria Hare - Av Praia de Búzios, 9128 - Conj. Ponta Negra. - 16h45 - saída para Praça dos Gringos, onde fica até 19h30, terminando na Feirinha de Ponta Negra.  - animação dos jovens de Pium com maestro Natan, vocal Vrindavana Dasa (Pernambuco). - alegorias, sonorização, fantasia livre com sugestão de usar tinta azul no corpo, acesso livre. - diretores: Nitay Chand, Flávio Rezende, Radha Gopali e Amaury Júnior.  - inf. 9.9902.0092 - 9.9147.4309 e 9.9677.5032.

Sexta, 21 de Fevereiro Meus escritos por Flávio Rezende

Escritos da Alma - o cantar do mantra e o bloco carnavalesco CORES DE KRISHNA -

Quando nos anos 80 despertei interesse pela cultura indiana, em todos os aspectos, tomando gosto pelas fotos, gastronomia, religiões e situações cotidianas, não imaginava o quanto isso perduraria, percebendo hoje que se manteve viva e ativa, por todo o tempo.

E do cantar Hare Krishna da praia dos Artistas a do Forte, nos anos 80 - fui mergulhando no mundo do universo hindu, até viajar para Índia, me tornar devoto de vários gurus, estando sempre alinhado no sentido de ajudar, somar, participar de movimentos, eventos, quaisquer coisas que tivessem a Índia como origem. 

E mesmo sem necessariamente me tornar um devoto tradicional, seguidor 100% dos babados necessários, me posto como um animado simpatizante, um produtivo reprodutor da cultura indiana e vaisnava, um entusiasta,   feliz amigo das crenças e filosofias.

E em sendo assim o babado evoluiu para fundar com Nitay Chand e Radha Gopali, um bloco, o Cores de Krishna, que associado hoje ao produtor cultural Amaury Júnior, cumpre um papel importante no contexto do carnaval multicultural da cidade do Natal, saindo com sua poesia, energia e sinergia positiva no sábado - polo PONTA NEGRA.

Eis uma ação da qual me orgulho, servir a causa de espalhar o mantra Hare Krishna pelo éter cósmico, num evento mundano, sem necessariamente ser um devoto genuíno, então sigamos, vamos, cantemos, celebremos: Hare Krishna, Hare Krishna,

Krishna Krishna, Hare Hare,

Hare Rama, Hare Rama,

Rama Rama, Hare Hare.

Eis algo bem simples e de alto potencial. 

Tenho muitas atividades, pensamentos, sigo um outro guru, mas tenho esse mantra como jóia, preciosidade, pedra angular, algo mágico, necessário, extremamente: salutar.

Haribol, entoe esse cantar e seja feliz.

Que situação, rapá...

 

Todos convidados para sair no Cores de Krishna 

- dia 22 - sábado de  carnaval  - polo Ponta Negra 

- concentração - a partir das 15h na Samosaria Hare - Av Praia de Búzios, 9128 - Conjunto Ponta Negra.

- Saída para Praça dos Gringos às 16h, onde permanece até 20h e o bloco termina na Feirinha de Ponta Negra. 

- animação dos jovens de Pium com maestro Natan, vocal Vrindavana Dasa (Pernambuco).

- alegorias, sonorização, fantasia livre com sugestão de usar tinta azul no corpo, acesso livre.

- diretores: Nitay Chand, Flávio Rezende, Radha Gopali e Amaury Júnior. 

- Apoio Lei de Incentivo à Cultura Djalma Maranhão da Prefeitura da Cidade do Natal  - Capitania das Artes, Unimed e Praia Shopping. 

- inf. 9.9902.0092 - 9.9147.4309 e 9.9677.5032.