o espaço das minhas coisas

Sábado, 16 de Março Meus escritos por Flávio Rezende

Escritos Cariocas - um Maracanã de inspirações

Quem me conhece ao vivo ou através dos escritos sabe do amor que tenho pelo Rio de Janeiro. 
Estando aqui desde quarta, num balé corporal pelas ruas e avenidas da cidade, percorro, vivencio e me jogo neste universo de seres, situações e visuais por todos os cantos e recantos, observando, tendo vontade de escrever, relatar, narrar, estando ainda fotografando muito e curtindo sempre. 
Já tendo ficado em Laranjeiras, Botafogo, Glória, Ipanema, Leblon e Leme, entre outros locais, joguei corpo mais uma vez, desta feita, em Copacabana, percebendo a degradação do bairro, com calçada histórica gasta, prédios em desconfiguração crescente e presença de zumbis drogados em ritmo preocupante. 
Andar pelo bairro e até outros locais do Rio é perceber claramente a ladeira que o Brasil desceu nas últimas décadas.
Com a educação alçada a condição de formadora de números para estatísticas mentirosas e governamentais na era PT, entramos num turbilhão de deseducados e analfabetos em geral, resultando desta farsa um time grotesco de produtores de palavrões e agressões verbais no lugar da gentileza e da boa norma. 
No Maracanã tentei ouvir algo de nossa língua pátria e só consegui captar baixo calão e mandamentos para aquele lugar, até em situações absolutamente normais, onde a conduta certa seria as tradicionais saudações amigáveis. 
Na opção pelo aluguel de um quarto num apto, encontro desleixo com o hóspede, tralhas no metro quadrado, sepultando a fama carioca de bom hospedeiro. 
A regra da esperteza cresce, os preços disparam, a cidade está cara. Num jogo se vendem mais ingressos que o espaço comporta, a selva sem o bônus do verde avança, célere, desconfigurando a fama histórica de cidade maravilhosa. 
Apesar de otimista, possuidor de uma retina que foca sempre no bem, vejo hoje um Rio doente, perigoso, os barbudos e culturetes, criativos e boêmios até na ditadura, hoje são uns sacos, conseguindo tornar gênios como Caetano e Chico,  adoradores de bandidos, uns marionetes de Lula, sepultando de vez suas visões clarividentes da cena nacional. 
O Rio a despeito dos problemas citados continua lindo, pois boa parte teve a divindade como feitor, construtor, benfeitor. 
Quando olhamos a geografia, sorrimos e desejamos voltar. 
Quando ao chegar de noite para repousar e encontramos na rua uma maré de atônitos seres, verbalizando palavrões, ameaçando nossa integridade, sem querer ajuda, apenas a manutenção de suas loucuras, olhamos a calçada desfigurada e pensamos: que situação...

Rio de Janeiro,  16 dias, terceiro mês,  ano dois mil e dezenove.12h10. Praia de Copacabana. 

Sexta, 08 de Março Meus escritos por Flávio Rezende

Felicidade no Dia das Mulheres

Sou um homem feliz por ter sempre muitas mulheres por perto. Durante toda a existência de minha mãe tivemos relação super bacana, carinhosa e cheia de trocas constantes de amor profundo e respeitoso.
As relações em todos os níveis, com o sexo feminino, foram e são permeadas das melhores energias disponíveis no universo.
Com a partida da mama, tenho hoje por perto a esposa Deinha e a filhota Mel. Somos grudadinhos, coladinhos, estamos sempre juntinhos.
Que dizer e não ser repetitivo, uma vez que elas estão sempre presentes em minhas crônicas, repito incessantemente meu amor por todas todos os dias, ao ponto de Mel dizer: - eu sei papai. Ou então quando aproximo minha boca da orelha dela, já vai logo dizendo: - já sei que vai dizer que me ama.
E assim nosso dia das mulheres são todos eles, pois convivemos, viajamos, dialogamos, sorrimos, vivenciamos a vida em sua mais maravilhosa expressão: o amor.
E seguirei repetindo exaustivamente que amo, estando perto, lambendo, escrevendo, fotografando, sorrindo, me encantando com elas, querendo mais, sempre mais.
E não são só elas, tem as duas cadelas, igualmente mulheres em minha existência.
E a todas as demais, meus parabéns gerais.
Amoooooooo

Sexta, 08 de Março Meus escritos por Flávio Rezende

ODONTOLOGIA EM FESTA COM 30 ANOS DA ACADEMIA E CRIAÇÃO DA COMENDA DO CRO

Uma solenidade na próxima sexta-feira, dia 15, a partir das 19h, no auditório da Academia, vai comemorar em sessão solene os 30 anos de fundação da Academia Norte-Rio-Grandense de Odontologia, e o anúncio da criação da primeira honraria a ser concedida pelo Conselho Regional da categoria, em toda a sua história, chamada de Comenda Dr. Fernando Dantas de Rezende.

A sessão solene outorgará ainda o título de Acadêmico Honorário ao Prof. Dr. Nelson João da Silva, pelos excelentes serviços prestados à Odontologia potiguar e internacional. A Comenda Dr. Fernando Dantas de Rezende será entregue de dois em dois anos a alguém de alta relevância à Odontologia no Rio Grande do Norte.

A homenageada da noite, além do Dr. Rezende (in-memoriam) com a titulação da mais alta Comenda do CRO, e do Dr. Nelson João da Silva (novo acadêmico), é a Academia que em seus 30 anos já compartilhou com a sociedade em geral diversos eventos sociais, culturais e científicos, homenageando os próceres da profissão, tendo a entidade 85 patronos acadêmicos e titulares, cuidando ao longo de todos estes anos da história e da memória da categoria e de suas realizações.

Domingo, 03 de Março Meus escritos por Flávio Rezende

Escritos da Alma - uma genuína alegria

De uns tempos para cá venho direcionando tempo e energias diversas para a realização de eventos sem fins lucrativos.
Muitos sociais, alguns devocionais, literários e outros no âmbito jornalístico mesmo.
Por trás de cada evento ou ação existem inúmeras providências, gastos monetários, embaraços, nós a serem desatados, tempo, coisas que muitas vezes causam insatisfações, apreensões e nos deixam chateados. 
Apesar dos aspectos negativos, inerentes a quase tudo na vida, o prazer, alegria, satisfação e contentamento interior, advindos dos eventos realizados, tornam suas existências válidas e o gozo cósmico que produzem não encontra semelhança em nada que o mundo material proporcione, potencializando assim o desejo de empreender neste sentido e realizar coisas com este formato.
As ações que visam ao lucro acarretam ganhos financeiros que, por sua vez, são empregados para o prazer dos sentidos.
O atalho para acessar o prazer, no maior dos sentidos, o mental, está disponível para quem faz as coisas com amor e trabalha com carinho e boa vontade. 
Os festivais orientais, o bloco Cores de Krishna, os livros lançados e a Casa do Bem, entre outros movimentos, alcançam a plenitude do regozijo mais profundo, por serem planejados com a régua do benquerer e executados com a intenção do amor universal. 
A felicidade é tão abrangente que cria pontes diversas para que muitas pessoas possam chegar. 
Uns usam as escadas do dinheiro. Outros vão direto na fonte.
Um bom carnaval para todos.
Luzzzzz

 

Quarta, 27 de Fevereiro Meus escritos por Flávio Rezende

Mãe Luiza festeja 61 anos de existência

A idade de 61 anos é apenas um protocolo oficial, segundo moradores antigos, o bairro tem idade mais avançada. Independente de 61 ou 81, neste dia 26, por iniciativa do vereador Dinarte Torres, nascido e criado no bairro, filho de diarista/servente de pedreiro, a data foi festejada numa sessão especial, onde o vereador prestou várias homenagens para personalidades e moradores do bairro, que fizeram e fazem a diferença para a história da comunidade.
Foi emocionante ouvir de Dinarte Torres uma vibrante homenagem as mulheres de sua vida (mãe e esposa), reverenciar os filhos e, indepedente de questões partidárias, citar nominalmente cada morador, relatando aspectos de suas respectivas histórias, demonstrando pleno conhecimento dos fatos e da vida de cada um, num memorável momento que juntou esportistas, sindicalistas, comerciantes, lojistas, moradores históricos e aqueles que desenvolvem trabalhos sociais, religiosos e voluntários no querido bairro.
Uma noite que teve o apoio dos vereadores Raniere Barbosa e Eleika Bezerra, além de lideranças comunitárias do bairro, de tradições espirituais e, como fundador e diretor da Casa do Bem, fui incluído no rol dos homenageados, o que muito me honrou, pois morei por 18 anos em Mãe Luiza, consegui implantar uma ONG respeitada em todo o Rio Grande do Norte e, pelo bairro nutro amor constante e carinho eterno.
Grato ao #VereadorDinarteTorres da @ Câmara Municipal de Natal pela honraria, tendo recebido a mesma junto com Auricina Pereira, baluarte da Casa do Bem e pessoa igualmente querida.
Uma noite para ficar na história, como lembrava Dinarte Torres a todo instante.
Luzzzzz

Segunda, 25 de Fevereiro Meus escritos por Flávio Rezende

Insanidade petista

A petezada ama os EUA. Tanto para passear, quanto para por a culpa quando o modus operandi socialista destroi os países e suas economias, democracias etc.
Incrível ver o PT culpar os americanos pela crise na Venezuela. Nenhuma linha sobre a má condução dos governos desde o falecido até hoje, nada sobre as pessoas fugindo, morrendo sem remédios, os que dialisam a míngua, supermercados desabastecidos, militares atirando nas multidões.
Para o PT o que vale é a manutenção da falsa narrativa que os americanos é que são culpados de tudo e que os reais eventos que todos assistimos, são a tal mídia golpista etc e tal.
Rapaz, sei não, quanto mais leio eles defendendo Maduro, mais tenho certeza querer distância desse partido loucão.
Que situação, rapá...

Segunda, 25 de Fevereiro Meus escritos por Flávio Rezende

Bloco Cores de Krishna sai sábado no Polo Ponta Negra com mantracatus e afoxés

O sábado de carnaval em Ponta Negra vai ser ainda mais animado com a saída do Cores de Krishna. A concentração será a partir das 15h, na Samosaria Hare (restaurante vegetariano - Av. Praia de Búzios, 9128 – Conjunto Ponta Negra), onde os foliões pintam suas faces e realizam as produções da indumentária indiana, lembrando porém não ser exigido nada neste sentido, sendo o bloco aberto a todas as cores, roupas, fantasias e pessoas.

Após a concentração o Cores de Krishna sairá em cortejo Ratha-Yatra às 16h, em direção a Praça dos Gringos, onde faz performance até 19h.

O Cores de Krishna é composto por devotos de Krishna, simpatizantes e foliões em geral, com presenças confirmadas vindas de: Campina Grande, João Pessoa, Recife, Índia, Caruaru e Fortaleza. Os puxadores são: Vrindavana Dasa (MantraCatu/PE) e Yamunacarya Das Goswami (Natal), além da Banda de Percussão de Pium, com maestro Nathan Medeiros.

O bloco foi fundado pelo escritor e jornalista Flávio Rezende e pelos devotos Nitay Chand e Radha Gopali, 

não tendo venda de camisetas e nem de produtos, bastando aos foliões comparecer e se fantasiar da maneira que gostar, existindo uma predominância pelo uso da cor azul no rosto, temática indiana na indumentária e muita alegria e criatividade.

Algumas alegorias de Krishna, Radha e deidades acompanham o bloco.

Mais informações:

Flávio Rezende – (84) 99902-0092

Nitay Chand – (84) 99637-6680

Radha Gopali - (84) - 99677-5032