o espaço das minhas coisas

Sábado, 15 de Junho Que Situação por Flávio Rezende

Que situação...

O sindicalismo brada por direitos e não fala em gerar riqueza.

Seus próceres entoam mantras compartilhados por políticos que buscam unicamente espaço para atacar o butim, e manter suas estruturas eleitorais. 

Observando os que temos percebemos medíocres caçadores de dinheiro, enfeitiçando funcionários públicos e trabalhadores com promessas vagas e recolhendo impostos para pautas pobres em efetividade. 

Gastam seus neurônios carcomidos pelo câncer esquerdista atacando o liberalismo, achando que riqueza é distribuir migalhas e chamar os meios de produção de capitalistas e exploradores do povo, esquecendo que dinheiro não nasce da terra e não se produz sem esforço e muita ousadia.

Preferem nadar na lama da irresponsabilidade fiscal, gastando o que tem e o que não tem, para formar rebanho, afogando o País na recessão e na crise,  posando depois de vítimas, quando na verdade disseminam as inverdades dos larápios de plantão, criando a ilusão dos recursos inexistentes para atendimentos de reivindicações sem fim.

Fácil posar de estar ao lado do povo, difícil é o povo entender que para compartilhar direitos, primeiro é preciso a gravidez do capital. 

E os políticos da esquerda, ávidos pela parcela iludida da população desavisada, navega nessa maré insana, com seus capitães nauseabundos. 

Capitalismo selvagem é o mantra dos sindicalistas vagabundos.

Até quando uma ruma de passageiros ainda estará apoiando esses falsos e medíocres almirantes de naus desgovernadas?

Que situação, rapaz...

A esquerda tenta a todo custo e com oxigênio universitário e sindical tornar questões políticas setoriais em revoluções. 

Não está conseguindo, reforçando a tese que suas bandeiras estão encardidas e seus devotos apenas alimentados por eventos pra treino da voz e empoderamento de álbuns revolucionários em Facebook e Instagram.

A educação não está ameaçada, apenas contingenciada, podendo o alunado recorrer ao professor Lula que dava aulas sobre isso ao seu tempo. 

Os professores podem exercer a memória desenterrando medidas de Dilma, que a seu tempo teve igual iniciativa. 

Quanto a previdência Lula reformou e reafirmou necessidade de continuar reformando, foi referendado por Dilma. Estivessem no poder, estariam fazendo e os bovinos ruminando pacificamente o capim ofertado. 

A reforma será aprovada, educação descontingenciada, com a esquerda inventando novas palavras de ordem para manter o CarnaLula ativo e a sua sobrevivência nesse nicho populacional vivo. 

É o jogo democrático e natural. 

Que situação, rapaz...

Quinta, 13 de Junho Que Situação por Flávio Rezende

Que situação...

Os cabras que pescam mensagens pessoais nos oceanos midiáticos são todos da esquerda?
O jogo só vai ficar hot quando os da direita começarem a divulgar os babados da esquerda. 
Aguardemos a nova série Netflix: Over Hacker.
Que situação, rapá...

Sei não, esses russos na Venezuela, chateação dos palestinos com 17, cubanos irritados com fim das comissões dos médicos, esquerda em queda livre em eleições planetárias, termina fazendo essa turma apelar para a guerra virtual, então países com viés a esquerda começam campanha de desestabilização de governos eleitos a direita, pela via do grampo ilegal.
Sei não, será que adquiri o vírus esquerdista das gripes conspiratórias? Pode ser.
Que situação, rapaz...

Estar presente em grupos de zap, onde opiniões, expressões, posições e muitos outros babados rolam, é pesquisa, índice, medição, observatório, temperatura ou o que mais for do que somos em nossa totalidade existencial. 
Agora me perdoem, não tenho nível de excelência em gramática e suas regras, mas leio cada palavra escrita de uma forma que, internamente pergunto: como é possível?
Em muitos casos seria mais fácil escrever o correto, que produzir o hieróglifo revelado.
Que situação, rapaz...

Se as festas populares movimentam a economia, empoderam grupos culturais, religiosos e temáticos, tornam nossos parlamentares usufrutuários do ócio monetarizado. 
Para os mortais da matéria primária, o feriado simples se houver, para os semideuses do Olimpo parlamentar, dias e dias de animada movimentação e ausência em urgentes votações. 
Que situação, rapaz...

 

Quarta, 12 de Junho Que Situação por Flávio Rezende

Que situação...

As vezes ser jornalista é uma merda 

Quando um jornalista trabalha para um veículo, é correto ser imparcial. Tem um assunto e ele precisa ver os dois lados, ouvir, expor de maneira mais isenta possível. Ok.
O jornalista porém tem vida pessoal, ideias, visões e em seus espaços próprios fornecidos por mídias sociais como face, blog, Instagram etc, ele pode opinar e ser parcial se quiser. 
Os jornalistas de esquerda são verdadeiros soldados da ideologia, aguerridos, militantes, partidários etc.
Só que não conseguem digerir bem os que pensam diferente. Quando lêem algum com opinião diversa, acusam logo de ser jornalista parcial.
Para eles só é possível posição política e ideológica a esquerda. A direita ou ao centro é heresia, fascismo, ignorância. 
Tenho percebido diariamente o quanto são hipócritas os esquerdistas, em várias situações, e o quanto são desonestos. 
Aviso então aos navegantes, não trabalho mais em TV, jornal, o blog que tenho é meu e coloquei bem grande: "o espaço das minhas coisas".
Por isso posso ser parcial, defender o que desejo e penso, não sendo portanto jornalista trabalhando e, sim, cidadão comum pensando.
Que situação, rapá...

Sábado, 01 de Junho Que Situação por Flávio Rezende

Que situação...

Alguns entendidos de política a esquerda, que chamam todos fora do quadrado vermelho de ignorantes e gritam Lula Livre nas manifestações, acham o máximo chamar o capo de gênio político. 
A realidade porém o localiza no Google Map numa carceragem, o PT praticamente não cresce em número de filiados, chegando desde janeiro a 0,6% a mais em número de inscritos, perdendo feio para o NOVO com 29% e o PSL 13%, e até o PRB com 4%.
A genialidade de negar os malfeitos, escondendo a verdade, sepultando a autocrítica, e ampliando a ojeriza, na minha opinião, eleva a santidade petista ao patamar de péssimo estrategista e de coveiro das esquerdas. 
Por qual motivo então ainda tem apoios e devotos? Eis então sua verdadeira genialidade: não deu espaço para ninguém surgir, reinando da cadeia uma massa falida e ditando slogans pífios, para uma manada órfã de alguém que os represente com dignidade e verdadeiras boas ações. 
Que situação, rapá..

Sexta, 24 de Maio Que Situação por Flávio Rezende

Que situação...

Assisto vários filmes, séries, observo, penso e percebo o dinheiro como o Mestre, mola mestra, indutor, sedutor, na vida privada, seara politica, esfera profissional.
Religião, ética, são detalhes, grande MAIORIA se rende ao poder do verdadeiro 666, a grana, o capital, está no Vaticano, Planalto, Medellín, Casa Branca, La Moneda, Politburo, Conselho da ONU, Casa Rosada, Kremlin e parlamentos. 
Grana move o mundo, determina fatos, formata posições, o resto são detalhes, adereços, molduras, justificativas, decorações. 
E isso para todos os lados e interesses.
Que situação, rapaz...

A esquerda passou ao longo dos anos uma imagem de preocupação com o povo, mas uma lupa revela que o discurso é teórico e a prática é de modus vivendi burguês.
Na UFRN são socialistas nas aulas e nas apostilas e pródigos em gastos nas viagens e solicitações. 
Viagens não são poupadas, professores chegam todos os dias com diárias, hotéis e aviões para palestras de horas.
O povo é um detalhe e o empoderamento de suas progressões funcionais e aulas presenciais totalmente fora do controle.
A grana rola e a noção de economicidade, praticidade e custo/benefício, uma besteira do capitalismo. 
Até uma fundação quebra galho para posse egóica.
Quando é hora de mostrar renuncia, o ouro reluz e a hipocrisia assume.
Que situação, rapá...

Como tem grana para bancar posse, creio que seria correto a Funpec mostrar seus projetos executados e importância dos mesmos.
Não creio que uma posse seja algo relevante que justifique aporte financeiro diverso. Se isso for relevante, o resto fica suspeito. 
Será a Funpec um apêndice do poder universitário para resolver pedidos nada republicanos?
É só uma pergunta. 
Que situação, rapaz...

Sexta, 24 de Maio Que Situação por Flávio Rezende

Que situação...

A posse do novo reitor da UFRN conseguiu transformar o que seria especial em infernal. Toda mídia sobre o assunto é negativa, de blogueiros a colunistas, manchetes, todo mundo criticando, menos as tais entidades que vivem a defender mais parcimônia na questão econômica, desde que o gasto parta de algum coxinha.
Até agora não li uma nota de repúdio a gastança desnecessária e egóica da Atens, Adurn e de políticos. 
A esquerda parece gostar de falar uma coisa e fazer outra. Fico imaginando se fosse um reitor "coxinha" a ser empossado, o furdunço que seria.
Faço parte de um grupo de zapzap de uma entidade e até hoje, só uma pessoa lamentou o episódio. No particular comigo um defendeu, por incrível que isso possa parecer, um petista disse que a grana da Funpec podia ser gasta assim, que era legal. Imoral para petista é se o gasto for a direita, a esquerda tudo pode.
Enfim, o reitor que é uma pessoa legal, um cabra bom, bem que podia renunciar a tal posse e fazer ali mesmo no auditório da Reitoria, em sua casa, pertinho do seu gabinete, demonstrando o equívoco e recuando da suntuosidade que não cabe bem nestes tempos e em tempo nenhum, uma vez que ganhou, o 17 endossou, e é hora de trabalhar e não de posar diante de iluminação de primeiro mundo, ambiente pago e auditório fora do ambiente universitário.
E a Funpec enxovalhou sua reputação e história, estando agora todo mundo querendo saber o que se faz com o dinheiro ali depositado.
Faria bem publicar, para que possamos saber se existe para possibilitar posses suntuosas, ou para empoderar pesquisas maravilhosas.
Que situação, rapaz...

Quinta, 23 de Maio Que Situação por Flávio Rezende

Que situação...

Homofobia caminha para ser criminalizada, aéreas liberadas e bagagens livres, ministérios reduzidos, a semana está fechando de maneira muito legal.
A manifestação agendada vai pedir que políticos tenham comportamento pró Brasil e deixem seus umbigos de lado.
A coisa está ficando interessante.
Que situação, rapá...

Quando a gente viaja para fora vê companhias aéreas pequenas, com aviões para 70 a 100 pessoas, fazendo vôos regionais por preços bem acessíveis.
Brasil perdeu muito tempo com reserva de mercado em várias áreas por causa dessa conversa mole do PT que só nos atrasou em tudo.
Agora estamos podendo avançar em direção onde vários países estão. Governo 17 destravando setores presos a mimimi ideológico do atraso. 
Avante.
Que situação, rapá...

A posse do novo reitor no Teatro Riachuelo é de uma infelicidade sem tamanho.
Desprezo pela própria estrutura da UFRN, que é a melhor da cidade, caso seja paga é um absurdo diante da situação atual, além de ser considerado por alunos ideologizados como palco da elite branca e da burguesia putrefata. 
É o que venho observando lá, papo de povo e conduta de barão. 
Que situação, rapaz...

Todos os dias leio que algum deputado está insatisfeito com o partido pelo qual foi eleito e que vai pedir para sair. Não seria melhor acabar com os partidos, as pessoas diziam na campanha o que pensam e votaríamos em pessoas, acabando de vez com essa hipocrisia, uma vez que os partidos estão desconfigurados e são meras formalidades?
Ou então formar mais um, o Partido dos Insatisfeitos. Certamente em pouco teria a maior bancada.
Que situação, rapaz...

Sobre maldades e humanidades

Quando a população em geral de um País pobre como o Brasil paga uma mega estrutura jurídica, com uma hiper rede de juízes, serventuários, oficiais, desembargadores, ministros, prédios, diárias, inúmeros auxílios, material de expediente, segurança, aluguéis, tribunais etc; para funcionamento de uma legislação que oferece dezenas de oportunidades para os acusados com instâncias, recursos, audiências, recorrências etc, mesmo que a realidade prove que a grande maioria das acusações se confirma ao fim de tão longeva odisséia que atende pelo pomposo nome de "presunção de inocência", numa argumentação legalista que se prova a cada dia mais pró infratores que vítimas, podemos afirmar que somos sim, humanistas!
Quando a população brasileira paga os custos de uma oceânica rede de saúde, muitas vezes utilizada por bêbados irresponsáveis no volante, fumantes, viciados em drogas, agressores de mulheres e fraudadores do INSS, podemos afirmar que somos sem dúvidas, humanistas!
Mas quando falta dinheiro por causa da manutenção dessas e de outras mega estruturas públicas, a serviço de marginais, irresponsáveis e viciados, faltando remédios, aumentando tempo de processos e provocando a morte de milhões de pessoas de bem carentes de serviços públicos, seria correto afirmar que ao aceitar essas situações descritas, somos desumanos?
É uma reflexão. 
Que situação, rapaz..