o espaço das minhas coisas

Domingo, 27 de Janeiro Que Situação por Flávio Rezende

Ponta Negra. Que situação, rapá...

Quem acompanha meus escritos sabe do olhar carinhoso que lanço sobre Ponta Negra.
Estes dias de maré cheia pela manhã os nativos e turistas ficam mais no calçadão, criando um ambiente confuso que torna patente a esculhambação reinante em nosso cartão postal.
Com a fiscalização de férias ou ineficaz os ambulantes deitam e rolam, aos montes, tornando a passagem difícil e a sujeira presente, num festival de quadros, frutas, miçangas, cocos, coxinhas, serviços ofertados e lojas sobre rodas, que se misturam a bêbados, batedores de celulares, malandros, sanfoneiros, cartomantes, religiosos, ratos e os usufrutuários do espaço, que vendo essa babilônia multicultural, diversa, apologética, disforme, radicalmente solta e de autoregulamentação própria, Deus sabe o que sai pensando. 
Hoje meu olhar carinhoso entrou de férias.  Penso nas verbas do turismo indo para participação em feiras, diárias, stands, coberturas, mídias, enquanto o calçadão horroroso, de pedras quase pretas e amarelas, morto nas cores, apagado, sujo, malcheiroso, não recebe um lava jato, a regulamentação não se efetiva, a urbanidade não se instala e o visual feliz do lado de cá não se aproxima do de lá, onde o mar faz sua parte e o Morro do Careca se amostra com sua beleza, sempre belos e presentes. 
É preciso arrumar a casa para depois buscar gente. Trazendo a galera para esse muquifo que está, só se for uma ruma de poetas, escritores, como eu, que normalmente só veem o lado bom das coisas.
Mas a banda toca de outra forma e a grande maioria das pessoas observa mais as desafinadas da banda, levando para casa a informação que o show foi mais ou menos e que é preciso ensaiar mais. 
Ave Maria, que situação rapá...

Sexta, 18 de Janeiro Que Situação por Flávio Rezende

Que situação...

Sei que manter um discurso depois que o ambiente muda não é fácil. O cara é oposição, diz um monte de coisas, ai depois vira governo. Começa a fazer coisas que criticava, não tem como em muitos casos.
Está acontecendo com o PT onde governa e com Bolsonaro.
Com o tempo aprendemos que o certo é sempre não generalizar e ser moderado.
Eu já errei muito em criticar pesado. Quando petista baixava o pau, depois tive que engolir os erros do PT.
Fui vegetariano quase 20 anos, escrevi falando mal de quem comia carne, depois deu um piti no meu juízo e voltei a comer. Ave Maria, quando leio o que já escrevi, fico envergonhado.
Agora vejo Bolsonaro dizer coisas que antes dizia diferente, nomear cabras que dizia que não ia nomear e, seus filhos, conversando uma merda danada.
Sei não, gosto das coisas da Índia, dos seus gurus, uma das coisas que eles dizem muito é que devemos estar acompanhados de almas boas e que devemos falar pouco.
Podes crer, essa coisa de falar muito dá um bode danado.
Que situação, rapaz...

Sexta, 18 de Janeiro Que Situação por Flávio Rezende

Que situação...

Leio aqui que a Federação dos Municípios do RN vai contratar uma assessoria para ver como cobrar mais impostos e evitar sonegação.

Todo mundo sabe faz tempo, que prefeitos adoram viajar para Natal, com diárias que cobrem até fins de semana.

Em Brasília telefonar para saber algo não resolve, tem que pegar um avião e passar uma semana lá visitando amigos políticos e ver um processo que está disponível pelo sistema.

Não sei se essa assessoria vai mostrar que dinheiro tem, falta gastar com o povo e não com passeios ao Midway e ao lago Paranoá.

Que situação, rapá...

Assisto agora na TV um secretário falando em desenvolver o RN. Quer criar câmaras setoriais, chamar universidades, visitar outros estados. 
Pelo que entendi gastaremos muita grana com passagens, diárias, seminários, palestras, consultorias e continuaremos na mesma.
A única coisa concreta que disse foi elogiar uma empresa de camarão. 
A iniciativa privada funciona. A estrutura pública gasta e adora mimimi e cafezinho. 
O governo ajudaria muito diminuindo quase até sumir.
Não atrapalhar também ajudaria.
A realidade aqui já foi devidamente catalogada, exposta, dissecada e tornada pública desde que os primeiros governos começaram. 
Não precisamos de câmaras setoriais, diagnósticos, precisamos fazer sumir o Estado, esse sim, o grande inimigo, gastador, ineficaz, loroteiro.
O Estado deveria ser apenas uma espécie de máquina de arrecadar e pagar a iniciativa privada para tocar a saúde, educação, segurança etc. 
Tudo isso feito pela inciativa privada teria mais eficiência e serventia para o povo.
Que situação,rapaz...

Atenção colegas ninguém está sendo obrigado a ter arma em casa e quem se habilitar será para proteção. 
Ou preferem deixar os bandidos livres para entrar, roubar, estuprar e matar?
Parece que temos muitos simpatizantes de bandidos com maquiagem de humanistas. Qualquer ato para enfrentar a malandragem, correm logo para se posicionar contrariamente. 
Digo sempre que estamos em guerra. Os altos índices empoderados nos últimos 13 anos não pedem passeatas, manuais, cartilhas. 
A situação é crítica, pede enfrentamento com as mesmas armas. 
Que situação, rapá...

Terça, 15 de Janeiro Que Situação por Flávio Rezende

Eterno mimimi

Tempos atrás, quando o PT deitava e rolava, a grande maioria da população não dava muito cabimento para política. Só no período eleitoral é que se comentava um pouco, mesmo assim sem muito antagonismo.

Neste tempo pouca gente sabia que por baixo do pano o PT realizava um trabalho de cooptação, via grana, de todos os atores da vida nacional.

Quando veio a tona o babado todo, o PT já havia dominado a classe empresarial, política, parte do judiciário, imprensa, ONGs, entidades classistas, fundos de pensão, carnavalescos, artistas, universitários, enfim, estava praticamente todo mundo dominado.

Uns poucos que resistiram, são hoje execrados pelos petistas remanescentes, numa tentativa sôfrega de denegrir a imagem de quem enquadrou a petezada, e enviou seu líder para um espaço reduzido e limitado na fria Curitiba.

Pois bem, hoje os petistas se chateiam com que pensa diferente, se manifesta, vota contra, aponta o dedo e baixa o cacete nas mazelas já sabidas e nas que ainda saberemos do partido corrupto.

Algumas pessoas, diante do quadro generalizado de opinião para lá, para cá, gente levantando a voz, apontando caminhos, defendendo uns e outros, num Fla X Flu que não para, se chateia e pergunta se isso não vai mais parar.

Creio que não. O País está politizado, como sempre desejou a massa petista. Agora que todos estão participando, mostrando o que pensa e dizendo em que acredita, a petezada começa a dizer que a culpa é disso e daquilo, fazendo o que mais gosta: terceirizar desculpas.

Caso o Partido dos Trabalhadores tivesse feito o que prometeu, acabar a corrupção, colocar na cadeia os agentes públicos e privados ladrões, certamente estaríamos só discutindo coisas mais conceituais e filosóficas.

Foi o PT apontar o dedo para todo mundo, acusar quem não era vermelho de ladrão e, depois ser descoberto totalmente desbotado na maré dos malfeitos, acordou a massa, despertou a nação, que revelou indignação e seu verdadeiro perfil: conservador.

Agora o povo, não se contenta apenas em tirar o PT do poder. Quer muitas coisas diferentes.

Fazer o que? O mimimi agora não vai mais parar.

Que situação, rapá...

Quinta, 27 de Dezembro Que Situação por Flávio Rezende

Que situação...

Tem petista normal, claro. Tem medial. E tem petista sacolão, daquele modelo que é  melhor nem cruzar.
Estava tomando um café com a família quando aponta no horizonte um modelo baixo astral ao cubo.
De longe já cumprimentei. Nada. Mais perto repeti gentileza. Zero. Quase frente a frente falei: - tudo bem?
- tudo podre...
E fez uma cara horrível. A energia do ambiente caiu treze pontos na Escala Civilidade.
Antes que alguém pergunte o que o PT tem a ver, respondo.  Tem, sei disso. Ela está reagindo a eleição do 17.
Pelo visto vai enfartar nos primeiros meses. O governo nem começou e já está quase vomitando, avalie depois.
Que situação, rapaz...

Quinta, 20 de Dezembro Que Situação por Flávio Rezende

Que situação...

Interessante que as tentativas para soltar Lula são sempre na véspera de algo, sempre de uma maneira estratégica, e de repente, os advogados já aparecem, imediatamente após com as solicitações com quase 50 laudas, como se pudessem ser produzidas em minutos.
E a turma do PT ainda reclama do judiciário, quando na verdade tem a seu dispor vários deles, devidamente contabilizados, certamente enquadrados, ou por gratidão, ou por grana, ou pela não revelação de segredos vários.
Enfim, apesar do PT e dos seus ministros e juízes militantes e cooptados, alguns ainda revelam disposição de barrar as milhares de tentativas de soltar o ladrão.
Que situação, rapá...

Quinta, 20 de Dezembro Que Situação por Flávio Rezende

Posts diversos

O PT sempre fica medindo as indicações do quintal alheio, fofocando sobre a falta de diversidade.
O time de Fátima parece ser predominantemente masculino, branco, não reconheço nenhum homossexual, deficiente, índio, pobre, enfim, parece que vai ser o secretariado elite branca, uma vez que são todos muito bem de vida.
Pois é, falar é bom, fazer parece não ser coisa do PT. Lembro de Lula, chamou todo mundo de ladrão, terminou virando o maior, o big, o chefão do maior esquema criminoso do Brasil.
Que situação, rapaz...

Partidos que se posicionam contra a prisão em segunda instância, como PT e comunistas, enganam povo com discurso elitista, uma vez que só milionários como Lula conseguem pagar advogados para postergar a execução de suas sentenças.
Defender essa posição é ficar ao lado da injustiça, do crime, consolidando com essa postura a percepção para parcela significativa da população, que essas agremiações partidárias são na verdade, organizações criminosas, daí a defesa a todo custo, dos seus meliantes reclusos.
Que situação, rapaz...

Decisão como a desse ministro só serve para alimentar a vontade de uns de fechar tudo e tacar esses cabras na cadeia. 
Que situação, rapá...

O que chateia em João de Deus é ele ter acesso na sala blacksex a tantos políticos corruptos e não ter metido o dedão no orifício de nenhum. 
Tivesse feito teria algumas penas atenuadas, certamente. 
Que situação, rapaz...

Estão proibindo tantas coisas para quem vai ver a posse do 17, que seria melhor mudar local para a praia de Tambaba. 
Que situação, rapá...

Tem pessoas que gostam muito de mostrar certos dotes que tem. Sejam músculos, peitos, bundas ou objetos materiais.
A polícia parece igualmente gostar de revelar que está chegando, sirenes, derrapadas, convocação da imprensa, etc. 
Estes dias fizeram tanto alarde sobre Cesare, que o cabra pinotou fora.
João de Deus só não sartou por causa do advogado que o convenceu que seria pior.
Seus espíritos tarados conseguem bulinar na invisibilidade, já ele, médium de mão boba, não conseguiria ficar escondido tanto tempo e terminaria com condenação maior.
Parece que para alguns, vale mais a sirene, o bafafá, que a efetividade.
Eita Brasil místico, louco, amostrado, pátria das panelas, sirenes, médiuns apequenados, gurus do amor excitados, políticos endinheirados, deputados mal afamados, cubanos promovidos, artistas bombados, jogadores endinheirados, terra de Pinóquios, espaço de mutretas, lulas que viram sardinhas, humoristas cheios de piadinhas, um espaço muito além, aquém de qualquer definição, um terreiro, um mosquiteiro, um mosteiro, uma indefinição.
Doutores equivocados, magos best sellers, jornalistas cheios de si, veículos em demasia, trens urbanos fora dos trilhos, muitas cores e aromas, tem cuscuz, tem tapioca, tem café, tem açaí, prostituta filósofa, Chauí ninguém entende, Suplici é reverenciado, tem Neymar no seu quadrado, uma pátria muito louca, resumo de tudo que é possível, o Brasil não se explica, o Brasil é uma zica. 
Que situação, rapaz...

As câmaras municipais são máquinas de sugar dinheiro público. Devemos extinguir e eleger pessoas vereadoras apenas para legislar duas vezes por semana, voluntariamente, sem assessores, sem comissões, sem TV, FM, nada disso serve para nada.
Faríamos uma estrutura com funcionários poucos, ágil, operante e pronto, enxuta ao máximo. 
Assembleias idem. Congresso Nacional pode funcionar de maneira enxuta também. 
Tribunal de Contas só com técnicos, nada de apaniguados, cheios de comissionados. 
Precisamos reduzir tudo, extinguir, decapitar a máquina que nos tortura e mata.
Que situação, rapaz...

A gente vai pagar um boleto de mais de cinco mil, o banco não deixa. Temos que ir lá pedir a bênção. 
Vamos sacar mais de mil, a máquina se aborrece e não deixa, pensa que não temos essa grana ou que estamos querendo surrupiar. 
Aí João de Deus mete a mão onde não deve e do dia para a noite retira 35 milhões de suas contas para gastar com advogados ou numa fuga. 
Esse cabra é um mão fina danado.
Que situação, rapaz...