o espaço das minhas coisas

Quinta, 26 de Março Que Situação por Flávio Rezende

Que situação, rapá...

Não vou dizer aqui se apoio ou não o pronunciamento do 38 ontem.
Ainda sou um pêndulo, penso uma coisa, outra, vejo razões numas coisas, em outras até opostas, enfim, não tenho opinião formada sobre o assunto.
Mas tem uma coisa que estou observando via zap e por outros meios: muita gente pensa igual a ele, que devemos deixar quieto os grupos de risco e liberar circulação dos demais, sob pena de prejuízos enormes, fome, desemprego, suicídios, depressões, dívidas impagáveis, demissões de longo prazo, criminalidade e até futuros saques coletivos em caso de longa duração das regras atuais.
Se temos uma praga batendo na porta, podemos estar alimentando várias outras dia após dia.
Volto a afirmar, esse post não é uma defesa do 38, mas ele teve coragem de levantar essa bandeira, e percebo muita gente se manifestando depois que ele colocou sua cara a tapa.
Uma coisa é correta dizer dele, o cabra é infantaria e selva.
Que situação, rapá...

Quinta, 26 de Março Que Situação por Flávio Rezende

Que situação, rapá...

Neste planeta midiático, onde aparições são desejáveis sonhos para muitos, tem almas que perseguem equipes de TV para aparecer, almas que assaltam de cara limpa para no vídeo surgir e de noite curtir sua atividade no programa da TV, tendo agora, almas loucas pelo vírus, para ao sobreviver, correr para ser entrevistado também na TV.
Essas almas aparicias são capazes de tudo para ter visibilidade no ar.
Que situação, rapá...

Sexta, 20 de Março Que Situação por Flávio Rezende

Que situação, rapá...

Neste embate político complexo de muita gente cheia de razão e imensas vertentes, possibilidades, ângulos, situações, pontos de vista etc e tal, tanto para um lado, quanto para outro, o que me incomoda não é certamente a opinião, que considero sagrada cada um ter a sua. 

O que me enoja é a falta de educação, a maneira deselegante, agressiva, órfã de civilidade. Lula é assim, bronco, canalha, preconceituoso, deselegante, passou sua governança dizendo merda. Dilma é louca, oca, desprovida de lógica, inteligência, um zero a esquerda, empoderada pela chefia para ser marionete da organização criminosa - tanto que até hoje fica pelo mundo fazendo aparições fantasmagóricas de baixíssimo conteúdo, envergonhando a pátria e denegrindo nossa imagem para quem tem um mínimo de percepção das coisas. 

Aí vem 38, se colocando como antagonista de tudo isso e, joga no lixo, a oportunidade de imprimir governança de direita de maneira educada, civilizada, consolidando política liberal nos moldes civilizatórios recomendados.

Chega e se instala e mantém ritmo de campanha, empodera gabinete do ódio, dá corda aos radicais, briga com quem lhe ajudou, é deselegante, pouco amigável, agressivo, dúbio em babados que antes era firme, bambolê em expectativas antes líquidas e certas, para não ter filhos enjaulados, enfim, vai se revelando um traidor, um fraco, construindo com sua postura pouco inteligente uma história idêntica a de Lula, que afundou as esquerdas, humilhou milhares de idealistas, cavou a cova do discurso que tanto se identificou.

A falta de tato do 38, sua agressividade constante, manutenção de peças no governo que pregam um ódio as esquerdas,o que na minha opinião desagrega, o eleva, entroniza, a continuar, na condição de futuro Lula. As panelas já batem, aliados somem, posts surgem, devotos se assemelham aos que combatem. Sei não, creio que pode ser diferente, enfim...

Aos fervorosos devotos peço vênia, não me vendo, não me rendo, não me prostituo. Luzzzzz

Sexta, 20 de Março Que Situação por Flávio Rezende

Que situação, rapá...

Entre 1958-1961 ocorreu o que ficou conhecido como a "Grande Fome Chinesa (三年大饑荒)", anunciando a história que políticas econômicas equivocadas e outros fatores causaram fome em massa resultando em milhões de mortes. Afirmam que para não morrer, os chineses começaram a comer de tudo, até morcegos, ratos, etc.

O tempo passou, situação melhorou, mas o hábito permaneceu, fazendo crer que a tal gastronomia adotada por força da situação, não seja tão ruim assim.

Diante do exposto é correto por a culpa por vírus que surgem no território chinês a essa gastronomia digamos, exótica? Não acho! Analogamente podemos punir atualmente negros e brancos pela escravidão do passado? Os próprios negros escravizavam inimigos territoriais e os entregavam aos brancos, que davam sequência ao comércio. Não creio ser crível punir essas raças por esse passado.

Os petistas e demais colaboradores partidários ao serem pegos com a mão na cumbuca diziam que o roubo é histórico. Devemos isentar de culpar os meliantes, pelo fato da corte portuguesa ter dado início aos saques ao erário público desde priscas eras? Milhares de outros fatos históricos querem depositar no passado, algumas ocorrências contemporâneas. Alguns políticos a esquerda, direita, centro e até na órbita do poder que foi e no que está, dizem que a tal rachadinha é prática nacional, como uma pandemia parlamentar em todos os níveis.

Devemos criar a vacina da rachadinha, do corona e do tráfico de pessoas ou, ficar filosofando sobre a origem do universo das coisas? Me mantendo apartado de teorias conspiratórias, partidos, isso e aquilo, torço pela solução de todas as distorções.

Que situação, rapá...

Segunda, 24 de Fevereiro Que Situação por Flávio Rezende

Que situação, rapá...

Não sei se é viagem, mas estou tendo a impressão que o carnaval está adquirindo um nível bem mais interessante no Brasil. Primeiro, o poder público está saindo de fininho aqui e ali, e a iniciativa privada tomando conta - o que é bom pois sobra grana para outras coisas e os eventos ocorrem.

Segundo, que os produtores culturais estão sabendo que é preciso levar a sério as licenças diversas, e já sabendo das normas, fazem as coisas com mais profissionalismo.

Terceiro, as pessoas estão sabendo que os policiais não são mais babás, e cuidam de andar na reta certa, pois do contrário a ressaca é na prisão.

Quarto, a impressão geral é de mais alegria e menos confusão, com blocos aumentando, hotéis lotando, todos participando e Momo reinando. Tem ainda os devotos do eterno mimimi, a turma da fechação em êxtase ampliado, os religiosos em retiros, os casados de olhares enviesados, os empreendedores micro e macros empoderados, e nossa esperança de dia melhores aumentando.

Estamos tendo boas notícias na área econômica e o carnaval reforça isso, já na área dos babados filosóficos e opinativos, a guerra fria continuará.

Que situação, rapá...

Sexta, 21 de Fevereiro Que Situação por Flávio Rezende

Que situação, rapá...

O advento das mídias sociais inseriu em nosso universo uma enorme quantidade de informações gastronômicas. Vendo e lendo sobre experiências pessoais, verdadeiras ou inventadas, muitas emolduradas por fotos e vídeos, somos tentados a experimentar para ver se o prazer confere com os deslumbramentos anunciados.

E assim, estando com algum recurso financeiro disponível, você vai pedindo uma coisa aqui, outra ali, mas confesso, quase sempre os babados não são essa Coca-Cola toda e a gente termina achando que o bom mesmo é o cafezinho tradicional, o feijão com arroz, ovo e bife, além do bauru, macarronada com molho de tomate ou bananada com Nescau.

Hoje sentei e olhando o cardápio vi um singelo pão com manteiga. Fazia tempo que não apostava neste pedido. Puts, foi êxtase total, gozo cósmico, que acerto da porra.

Ganhei o dia, manteiga num pão francês bem assadinho é campeão.

Que situação, rapaz...

Quinta, 20 de Fevereiro Que Situação por Flávio Rezende

Que situação...

Tem certas coisas que o PT devia ficar na dele. Querer investigar babado de enviar msgs de zap em campanha, para pegar 38, quando os 13s são doutores nisso, enviadores primeiros, contumazes, mestres no assunto kkk.
PT é cheio desse expediente, quer pregar nos outros, coisas que fazem bem mais e pioneiramente.
É a tal busca por um discurso que termina fazendo efeito contrário.
Bom, um partido que se alimenta do caco que é Lula, não tem mais como agir de maneira coerente e inteligente.
Dali só sai bagaço, estratégia falha, péssima atuação.
Que situação, rapá...