o espaço das minhas coisas

Sábado, 23 de Maio Que Situação por Flávio Rezende

Que situação, rapá...

Fotografando Ponta Negra com certa constância comecei a observar uma movimentação do casal Walter Paschoalino/Adriana, no sentido de ajudar ambulantes e moradores de rua da orla de Ponta Negra. Dando café, almoço e jantar, foram tendo ajuda e o público ampliado, surgindo no entorno do espaço artes pintadas no calçadao, um pequeno altar e uma tenda. Com a energia do bem circulando tudo fluía bem até chegar o poder público.

9Não aportou no lugar com cestas básicas ou encorajamento, chegou com policiais armados, fiscais e colocaram tudo abaixo, derrubaram, destruíram, desalmaram o lugar. Passaram a mensagem que o poder público não aceita o bem espontâneo e natural, será que o bem necessariamente tem que ser oficial, cheio de regras, etc e tal? Não sei se a abordagem vai matar a solidariedade existente, não sei, só sei que após a pandemia o local seria naturalmente restabelecido.

As obras de arte pintadas no calçadao podiam ficar? Pelo bom senso sim, estão lá paz, amor, gratidão, só não sei se o poder público, que a princípio deveria servir a solidariedade necessária, traduz essas palavras no seu verdadeiro significar.

Que situação, rapá...

Sexta, 24 de Abril Que Situação por Flávio Rezende

Que situação, rapá...

Vamos virar paraíso do impeachment. Seria até mais prático se isso pudesse ser feito mais rapidamente. O processo é demorado e atrasa o Brasil. Vamos desburocratizar o impeachment, aproveitar e fazer ele com lives e delivery. Enquanto assistimos 38 escafeder, recebemos na quarentena uma boa pizza para comer. Que situação, rapá...

...

38 não provocou apenas a saída de um grande homem.

Praticamente inviabiliza a posse de pessoas honradas.

Se continuar, será um governo de fantoches, quem aceitar participar de um governo assim, jogará na dúvida sua postura de isenção com a correção e as boas práticas. 

Que situação, rapá...

.....

Já estão chovendo pedidos de impeachment. Quem aceita ou não? Rodrigo Maia. Ainda tem quem ache 38 um gênio político? 

Que situação...

 

Sexta, 24 de Abril Que Situação por Flávio Rezende

Que situação, rapá...

38 derrotou o PT e fundou o TP. Todo Poderoso se acha o Papa, infalível e Deus, onipresente/onipotente. A cada dia se revela na verdade um blefe, mentiroso, prepotente, sem graça, inoperante, desagregador, protetor de corruptos, um mané, vai já na maré que está criando, ressacada, tormentosa, inavegável. Lamentável.

Que situação, rapá... 

Segunda, 20 de Abril Que Situação por Flávio Rezende

Que situação, rapá...

Momento do humor: 38 visitou os filhos domingo e depois foi prestigiar uma manifestação que lhe emprestava apoio, defendia AI-5, fechamento do STF e fim da quarentena de maneira gradual.

Como seus filhos são pródigos em ideias que os devotos acham geniais, algum poderia ter sugerido ao pai uma barba postiça e um quepe militar para ele se misturar anonimamente na manifestação e assim ver juntinho os gritos de ordem reinantes.

Caso assim ocorresse ele seria literalmente linchado e espancado. Sabe o motivo? - estava com uma camisa vermelha. Ps - brincadeirinha gente.

Que situação, rapá...

Segunda, 20 de Abril Que Situação por Flávio Rezende

Que situação, rapá...

A direita voltou ao poder e em pouco tempo alguns setores radicais já querem governar fora das regras. Não creio que militares queiram isso.

Não vejo como num País continental e nos tempos atuais, com ampla rede de comunicação, seja possível governar em ambiente hostil, reprimindo, com confrontos, quebradeira, protestos, guerrilhas, será um caos econômico dentro do já estabelecido pelo vírus.

A oposição é necessária, importante, salutar. 38 tem muito apoio popular, de políticos, tem pauta econômica em andamento com aprovações acontecendo.

Esse papo de dar ouvido aos radicais é apostar na merda, na piora geral de tudo. Radicais afundaram o PT e as esquerdas sofrem com eles. Radicais afastam maioria do povo. Se 38 for por aí, nem vai ter apoio militar para fechar nada e perderá muitos apoios que tem.

Radicalismo de lado nenhum presta, política, religião, futebol, nada. Acho o que aconteceu hoje inoportuno, burro e perigoso.

Que situação, rapá...

Segunda, 20 de Abril Que Situação por Flávio Rezende

Que situação, rapá...

Como o Corona virou partido político no Brasil venho observando uma coisa: alguns devotos de 38 defendem volta às atividades, seguindo entendimento do líder. Até aí tudo bem, mas dando uma olhada na mídia social do sujeito tem para ficar em casa etc. Aí fico pensando no que realmente o cabra pensa.

Com relação aos esquerdistas, penso que se o presidente fosse Haddad, com o desemprego, aumento da miséria, problemas sociais gigantescos decorrentes do fechamento geral, ele e os seus defenderiam a volta ao trabalho, portanto o mimimi esquerdista para ficar em casa é uma posição política, como aliás, é o norte desse pessoal, que se posiciona sempre em antagonismo, nunca em razoabilidade.

Esse é o nosso segundo vírus, tudo que acontece no Brasil, ou veste verde oliva, ou vermelho. E enfrentar problemas sérios, divididos e ensandecidos, torna os inimigos bem mais fortalecidos.

Que situação, rapá...

Quarta, 01 de Abril Que Situação por Flávio Rezende

Que situação, rapá...

O interesse por cultura indiana me levou a ioga, meditação, macrobiótica, vegetarianismo, veganismo, gurus, pirâmides, cristais e mais um monte de coisas já no passado, não levando no entanto meu bom humor. Entrar nestes babados leva alguns a inflar o ego - como se fossem superiores, contaminando o estado de espírito com postura carrancuda e professoral.

Hoje penso que o grande lance é tentar desconstruir muitos conhecimentos pseudamente adquiridos, apagar certas práticas já provadas inócuas e preservar o humor, as companhias e tentar conviver bem neste tsunami das diferenças. Muitas vezes posto coisas engraçadas e até politicamente esquisitas, recebendo de vestais dos himalaias certas reprovações.

As vezes para quem se considera muito alto, fica difícil contemplar o quão é sagrado essa vida mundana que temos aqui na feira, no mundo real. Os ascetas das montanhas falam muito que é fácil evitar a tentação de um belo peitinho pontudo, até que decidem por um rolé no sopé do morro, e contemplam uma ninfa pelada no lago.

Nessa hora é mais fácil um ser comum se controlar, que um monge não mergulhar. Que situação, rapá...