Please enable JavaScript to view the comments powered by Disqus.
Quinta, 21 de Setembro Variedades por MARÍLIA MARIANO

MARÍLIA MARIANO COM YOGA MASSAGEM AYURVÉDICA

Quarta, 20 de Setembro Variedades por Radha Gopali

Curso de Culinária Indiana com Radha Gopali em outubro

Segunda, 18 de Setembro Variedades por Sathya Sai Baba

Reflexão de Sai Baba

As pessoas tentam obter paz acumulando autoridade e riqueza, o que lhes dá poder sobre os outros e capacidade de comandar as conveniências e os confortos que conferirão paz. Mas elas rapidamente percebem que ambos caminhos são assediados pelo medo e a paz que se assegura é passível de extinção rápida e violenta. Como você consegue alcançar paz? Somente através do amor! A paz é o fruto da árvore da vida; sem ele, a árvore é um toco estéril sem valor. O fruto está envolto por uma casca amarga para que o suco doce possa ser preservado e protegido. Você deve remover a casca para provar sua doçura e se fortalecer. A casca grossa é simbólica das seis paixões malignas que envolvem o coração amoroso de todos: luxúria, raiva, ganância, apego, orgulho e ódio. Aqueles que conseguem remover a casca e entrar em contato com a doçura interna de uma disciplina difícil e consistente, alcançam paz eterna e imutável. (Discurso Divino, 1 de janeiro de 1971)

 
Sathya Sai Baba

Sábado, 16 de Setembro Variedades por Sathya Sai Baba

Reflexão de Sai Baba

A Natureza que nos rodeia e que está conosco é a vestimenta de Deus, apresentando amplas evidências de Sua beleza, bondade, sabedoria e poder, onde quer que olhemos. Mas a arte de reconhecê-Lo é estranha a nós e O negamos e vivemos na escuridão. Nós temos ao nosso redor na atmosfera a música que emana de várias estações de rádio, mas eles não atingem seus ouvidos a qualquer momento. Você não tem consciência de qualquer estação. Mas se você tiver um receptor de rádio e ajustá-lo ao comprimento de onda correto, você poderá ouvir a transmissão de qualquer estação em particular. Se você não conseguir ajustá-lo corretamente, você receberá apenas incômodo em vez de notícias! Da mesma forma, o Senhor está em toda parte - acima, ao redor, abaixo e ao seu lado. Para reconhecê-Lo, você não precisa de um yantra (máquina), mas um mantra (fórmula mística potente). Dhyana (meditação) ajusta a localização exata da estação, o amor é o propagador. Sintonize, perceba o Divino e desfrute da bem-aventurança que Ele confere! (Discurso Divino, 1 de janeiro de 1971)

 
Sathya Sai Baba

Quinta, 14 de Setembro Variedades por Dênia Cruz

Eu recomendo

Quinta, 14 de Setembro Variedades por Francisco Evangelista

A QUESTÃO DO SEXO por Francisco Evangelista

Tudo no universo, à sua maneira, faz sexo: flores, formigas, abelhas, peixes, animais, planetas, estrelas, cometas... E nós humanos, evidentemente.

Por isso os místicos não negam que o sexo é uma experiência intensamente prazerosa. E não há pecado nele. O pecado reside apenas no fato da dessacralização do sexo. Um ato que deve ser sagrado tornou-se banalizado, vulgarizado. Confunde-se migalhas de sexo com amor, e daí resulta todas as tragédias oriundas desse prazer insano: ciúmes, taras, mentiras, infidelidade,  traição e, até mesmo, morte.

A questão que os sábios colocam diante de nós esta: “Quanto tempo dura o prazer sexual?” Tão aguda, tão agradável e, no entanto, tão breve - apenas alguns momentos de sensação. Mas nós deveríamos desejar uma alegria que  nunca acabasse.

Somente quando os nossos desejos tiverem sido unificados, quando todos os nossos anseios ardentes forem consolidados em conjunto, poderemos alcançar o estado de alegria permanente denominado Ananda (Bem-aventurança-  sempre crescente e sempre nova).

Francisco Evangelista
FE

Terça, 12 de Setembro Variedades por Radha Burnier

SEGUINDO O IMPULSO DA ALMA - Radha Burnier

É muito importante para o discípulo entender que tudo o que ele recebe por meio de instruções ou conselhos deve ser encarado com responsabilidade, para beneficiar a humanidade e os outros seres vivos. Assim como recebemos, devemos dar. Não podemos esperar até estarmos plenamente iluminados para compartilhar. Devemos compartilhar qualquer coisa que temos agora. Como todo ensinamento verdadeiro é destinado a todo mundo, não há lugar para orgulho ou presunção na senda espiritual.

A afinidade com um instrutor que não tem favoritos, que representa o amor ilimitado, exige algo desse mesmo espírito no discípulo. Ele deve buscar a verdade por si mesma, não porque ela veio do 'seu mestre', como afirmou um adepto: 'Aprenda a ser leal à ideia, não ao meu pobre eu.' O único objetivo pelo qual devemos nos esforçar é melhorar as condições humanas por meio da propagação da verdade.

Como alguém pode começar o treinamento para se tornar um discípulo? A raiva, a cobiça e a ilusão são os três grandes venenos que devem ser eliminados. Um adepto aconselhou: 'Guarde-se do espírito impiedoso, porque ele surgirá como um lobo faminto em seu caminho, e devorará as melhores qualidades de sua natureza.' Não devemos buscar o que é errado nas outras pessoas, nem ter maus sentimentos mesmo contra alguém que nos prejudicou. Não devemos julgar os outros. Os padrões do mundo espiritual são diferentes dos mundanos. 'Um engraxate honesto é tão bom quanto um rei honesto.' Uma pessoa espiritual trata todos os seres com afeição e boa vontade.

Devemos dar pouco valor à aparência externa. O que importa é a pureza interna. 'Um faxineiro imoral é muito melhor e mais desculpável do que um imperador imoral', porque o humilde faxineiro pode não ter tido oportunidade de aprender. A vida do discípulo deve naturalmente ser de estrita moralidade, uma conquista diária do eu. O egoísmo, que toma a forma de cobiça e se evidencia pela raiva, é o impedimento mais sério à compreensão da verdade, e deve ser arrancado pela raiz. Quem domina o eu é maior do que aquele que, na guerra, vence milhares. O adepto dominou o eu; o discípulo deve se empenhar na mesma tarefa.

Radha Burnier