Segunda, 12 de Novembro Variedades por Madson Vidal

Vem aí Feijoada do Bom Coração

Segunda, 12 de Novembro Variedades por Sandra Cerqueira

Casa de Apoio à Criança com Câncer Durval Paiva - Assessoria de Comunicação Boletim Semanal

Aprendendo sobre o câncer

O projeto da Casa Durval Paiva ‘Aprendendo mais sobre o câncer infantojuvenil’ foi aprovado em edital da CONIACC, visando qualificar profissionais da área de educação que integram a 1ª DIREC (Extremoz, Natal, Macaíba e São Gonçalo do Amarante), através de formação continuada sobre a relação entre a escola, o professor e o diagnóstico precoce.

Diagnosticar é preciso

Profissionais de saúde, de áreas correlatas e pessoas interessadas no diagnóstico precoce do câncer infantojuvenil ainda podem se inscrever para o XIII Fórum do Diagnóstico Precoce, promovido pela Casa Durval Paiva, no dia 22/11, das 9 às 18h, no auditório do CTGÁS. Confira a programação e faça a sua inscrição: http://bit.ly/ForumDurvalPaiva

Arte Viva

O projeto da Casa Durval Paiva ‘Arte Viva: Conhecendo e vivendo sem drogas’ foi aprovado no Edital FIA - COMDICA 2018. O objetivo do projeto é promover a sensibilização de crianças, adolescentes e acompanhantes sobre à prevenção às drogas licitas e ilícitas.

Cybervoluntários

Muitos cybervoluntários já curtem, seguem e compartilham a luta contra o câncer infantojuvenil junto com a Casa Durval Paiva. São 26 mil no facebook, 17,5 mil no instagram e 2 mil no twitter. Abrace a causa e faça parte você também dessa grande corrente de solidariedade.

facebook/casadurvalpaiva

instagram/casadurvalpaiva

twitter/casadurvalpaiva

Visita dos Parceiros

A Casa Durval Paiva recebeu recentemente a visita dos antigos e novos parceiros. Na oportunidade, a direção pode apresentar os setores, as ações e os projetos desenvolvidos, bem como, os trabalhos feitos pelas mães e pacientes em 2018, parte da Mostra de Arte e Educação - Integrando Gerações. Veja fotos.http://bit.ly/2AFffI9https://bit.ly/2PRPeOq

Segunda, 12 de Novembro Variedades por Zeina Durdana

Treinamento Divas - por Zeina Durdana

OS OBSTÁCULOS QUE VOCÊ ENCONTRA FORA SÃO OS LIMITES QUE VOCÊ ALIMENTA DENTRO DE SI.

Frequentemente eu me prejudicava por causa de barreiras emocionais. Mas um dia eu decidi dizer basta.

Mergulhei na minha alma e trabalhei minhas dificuldades. Ali iniciava o caminho para minha MISSÃO, sem que eu percebesse.

As maiores barreiras e limites foram se transformando em minhas melhores FERRAMENTAS, meus bens mais valiosos: INTELIGENCIA EMOCIONAL.

Hoje, ao ouvir meus clientes percebo suas dificuldades e seu sofrimento com UM OUTRO OLHAR. Hoje, consigo entender o que sentem e como usar tudo isso como alavanca para ajudá-los a mudar suas vidas.

Ao unir superação com tudo que aprendi nesses momentos, descobri que estava preparada para ajudar outras MULHERES, que assim como eu buscam sua MELHOR VERSÃO, a superar suas próprias dificuldades emocionais.

Data - 17 deste das 9 às 18h

#TreinamentoDIVAS
#AmelhorVersãodeVocê

Sexta, 09 de Novembro Variedades por Ideia Comunicação

JP ganha clínica de emagrecimento

Clínica Emagrecer chega a João Pessoa

Inauguração da nova unidade acontece nesta quarta-feira (14)

A Clínica Emagrecer, que é referência no segmento de saúde, estética e bem-estar no Rio Grande do Norte, chega à capital paraibana nesta quarta-feira (14). A nova unidade funcionará na Avenida Esperança, 1143, no bairro Manaíra, em João Pessoa, Paraíba.

“Nós chegamos com uma equipe preparada de especialistas para impactar o setor de estética de João Pessoa. Assim como conquistamos a marca de nove mil clientes cadastrados em Natal, acreditamos que vamos alcançar a clientela deste segmento na Paraíba”, conta o fisioterapeuta Hállamo Saraiva, um dos sócios da Clínica.

Para os novos clientes, serão oferecidos os seguintes procedimentos: emagrecimento rápido, nutrição, dermatologia, estética corporal, estética facial, Criolipólise (método exclusivo), lipoenzimática de papada, Shape Slim, Dreno Slim e tratamento de calvície (feminina e masculina). Com o lançamento da nova casa, a Emagrecer vai oferecer até 50% de desconto em todos os serviços.

Sexta, 09 de Novembro Variedades por Juçara Figueiredo

Fest Bossa & Jazz Pipa 2018 apresenta: Chorinho da Pipa

O grupo Chorinho da Pipa surgiu na praia da Pipa através do anseio de músicos, vindos de outras cidades e países, de compartilharem seus conhecimentos musicais e produzir um som diferenciado e harmonioso, embasado no chorinho, um gênero genuinamente brasileiro. No repertório, clássicos de Pixinguinha, Jacob do Bandolim, Ernesto Nazareth, Paulinho da Viola, João Pernambuco, entre outros. Formam a Chorinho os músicos, Leandro Melo Oliveira – violão e cavaquinho; Serginho Macabu – pandeiro e Lu Príncipe – violão e cavaquinho. A banda convida Matias Benedetto (ARG) – acordeon; Rodolfo Castelli (URU) – gaita; Santiago Tarres (URU) – clarinete e flauta e Javier Guañabens (ARG) – saxofone.
#festbossajazz #festbossajazz2018 #praidapipa#chorinhodapipa #musicaparatodos #vemprapipa#encontrodemusicos

 

Sexta, 09 de Novembro Variedades por Casa Durval Paiva

Um olhar sobre a violência doméstica, por Soraya Mendes Guimarães

Assistente Social – Casa Durval Paiva

CRESS/RN 1249

A violência doméstica é todo tipo de violência que é praticada entre os membros que habitam no mesmo ambiente comum, a família. Pode acontecer entre pessoas com laços de sangue, como pais, filhos, tios, tias ou entre aqueles que coabitam no mesmo domicílio como marido e esposa, genro e sogra. A lei define como violência doméstica a violência física, psicológica, sexual, patrimonial e moral. Também é considerada violência doméstica o abuso sexual de uma criança e maus tratos em relação a idosos.

As crianças são mais vulneráveis a esse tipo de vicência por não terem meio de defesa. Mesmo quando a violência doméstica não é dirigida diretamente à criança, esta pode ficar com traumas psicológicos, principalmente, em consequência da separação dos pais e quando os filhos se tornam “moedas de troca” ou uma forma de atingir a ex-parceira. No Brasil, a violência doméstica é um problema enfrentado predominantemente pelas mulheres. Muitos casos são potencializados devido ao consumo de álcool e drogas, mas essa não pode ser considerada a única causa, também pode ser motivada por ataques de ciúmes e outros motivos que são justificados por diversas formas, principalmente, no caso da violência contra a mulher.

As mulheres em situação de violência doméstica não sofrem agressões de forma constante, e nem são infligidas ao acaso. Existe um padrão, chamado pelos estudiosos de "Ciclo de Violência". De acordo com esse modelo, a violência entre homens e mulheres em suas relações afetivas e íntimas apresenta três fases: acumulo da tensão, explosão e lua-de-mel.

Na fase inicial, dá-se uma escala gradual da violência onde acontecem agressões verbais, provocações e agressões físicas leves; a tensão vai aumentando até acontecer a explosão, quando o agressor perde o controle e parte para a  agressão física grave, em um ataque de fúria; a lua-de-mel é caracterizada pelo arrependimento do agressor que passa a ter comportamento extremamente amoroso e gentil, tentando compensar a vítima pela agressão por ele praticada. O comportamento calmo e amoroso, contudo, depois de um tempo, dá lugar a novos pequenos incidentes de agressão, reiniciando-se a fase de acumulação de tensão e, consequentemente, um novo ciclo de violência.

Com o passar do tempo, as fases tornam a se repetir mais frequentemente e, mais do que isso, a cada retomada do ciclo, a fase da explosão se torna mais violenta, podendo ter por consequência, caso não seja interrompida, o feminicídio, ou seja, o assassinato da mulher pelo agressor. Outros desfechos trágicos também são possíveis, podendo a mulher em situação de violência vir a cometer suicídio, ou mesmo a assassinar seu agressor.

A violência contra mulheres, especialmente a violência doméstica, envolve questões afetivas e emocionais importantes. Afinal, em geral, o agressor é companheiro da vítima, pai de seus filhos, o que dificulta o rompimento da relação afetiva, mesmo em um contexto de violência. É comum, em muitos casos, uma tendência da vítima não tomar qualquer atitude contra o agressor, por se culpar pela violência sofrida, por esperar que o comportamento violento cesse, ou, ainda, por temer pela sua integridade física ou de seus filhos.

Em defesa das mulheres vítimas de violência foi sancionada, em agosto de 2006, a Lei nº 11.340, Lei Maria da Penha, que tem como objetivo lidar com a problemática da violência doméstica. Segundo o artigo 5º da lei "configura violência doméstica e familiar contra a mulher qualquer ação ou omissão baseada no gênero que lhe cause morte, lesão, sofrimento físico, sexual ou psicológico e dano moral ou patrimonial".

A Casa Durval Paiva tem como missão “Atender a criança e o adolescente com câncer e doenças hematológicas crônicas e seus familiares, durante e após o tratamento, buscando a cura, contribuindo para o resgate da cidadania, dignidade e a qualidade de vida.” E para cumprir essa missão é necessário conhecer as várias faces da questão social e da violência doméstica que, quando identificada, a família é encaminhada para o sistema de garantia de direitos, objetivando o enfrentamento a todo e qualquer tipo de violência.

 

Quinta, 08 de Novembro Variedades por Soamar

Soamar promove feijoada no SERHS

A feijoada será no restaurante Potiguar no segundo andar e haverá um bazar das 8 às 15hs no Pizza Bar.

Quem quiser ir ver os produtos que serão vendidos é uma boa.