Sexta, 14 de Dezembro Variedades por LIA

Recado de Lia

Bom dia amanhã *SÁBADO* dia 15/12 das 15h às 19h, no Estacionamento do *MANDACARU* *MALL* Estarei expondo meus trabalhos de artesanato e também estarei com meu bazar e chaveirinhos de patinhas em defesa da causa animal. Para ajudar em ração , medicaçao e castraçoes, venha curtir uma tarde conosco, essa edição está especial.

Quinta, 13 de Dezembro Variedades por Glácia Marillac

Feijoada Vegetariana pela paz e ecologia

Quarta, 12 de Dezembro Variedades por Sai Baba

Reflexão de Sathya Sai Baba

"Assim como o corpo humano entrará em colapso sem a coluna vertebral, a vida humana também afundará sem moralidade e espiritualidade. Sua coluna vertebral é feita de trinta e três vértebras e suporta todo o corpo humano. Da mesma forma, princípios morais e espirituais constituem as próprias vértebras da espinha dorsal da vida humana. O que é imortalidade? A remoção da imoralidade é imortalidade. A vida humana, que é mortal, está fadada a perecer algum dia. Portanto, devemos lutar pela moral, que é imperecível. Este esplendor moral é a necessidade do momento. Meu desejo sincero é que a juventude cultive o esplendor moral e lute pelo bem-estar e elevação do país, especialmente quando o egoísmo e o interesse próprio - que geram a corrupção e todas as suas mazelas - são tão galopantes. Os estudantes e os jovens devem demonstrar grande interesse pelos princípios morais e espirituais do Ramayana* e beneficiar-se plenamente deles. Os anciãos também devem moldar suas vidas em consonância com a moralidade e a espiritualidade.

 Sathya Sai Baba, "Chuvas de Verão", capítulo 1, 1996,

Terça, 11 de Dezembro Variedades por Casa Durval Paiva

Construindo saberes: a importância do estágio curricular, por Keillha Israely Assistente social – Casa Durval Paiva

O momento do estágio curricular é um dos mais esperados no período de formação. A ansiedade de estar no campo de atuação, atendendo aos usuários e vendo de perto o fazer profissional é sentida pela grande maioria dos estudantes.

A Casa de Apoio à Criança com Câncer Durval Paiva, foi fundada há 23 anos com a missão de atender a criança e o adolescente com câncer e doenças hematológicas crônicas e seus familiares, durante e após o tratamento, buscando a cura, contribuindo para o resgate da cidadania, dignidade e a qualidade de vida. Desde a sua criação já atendeu a 1504 crianças e adolescentes, e é campo de estágio para diversas faculdades e os mais variados cursos de graduação. Recebe, em média, 40 estagiários por ano, nos setores de serviço social, psicologia, nutrição, pedagogia e odontologia, oferecendo um espaço de construção de saberes e formação profissional.

No ano de 2018, o serviço social recebeu seis estagiárias, e estão sendo desenvolvidas diversas atividades, desde reuniões de orientação à execução dos projetos de intervenção, por meio de oficinas no grupo de acompanhantes, com rodas de conversas de discussão de temas relacionados à direitos sociais e qualidade de vida.

Para nós profissionais do serviço social é um desafio prazeroso, pois ficamos imbuídos de uma importante tarefa, ensinar. E não é fácil diante da demanda densa, dos inúmeros atendimentos, mas, podemos dizer que aprendemos da mesma forma que ensinamos, e nos sentimos honradas em podermos passar um pouco do nosso saber e experiência para futuros profissionais.

Durante esse ano, acompanhamos as estagiárias, em momentos diferentes da formação, umas concluindo e outras iniciando essa fase. Os primeiros encontros de sondagem e apresentação da instituição e do nosso setor, as orientações para a construção dos documentos oficiais, dos quais destacamos: relatórios, cenários, projetos de intervenção, são excelentes.

A fase da implementação dos projetos de intervenção e troca de saberes é um dos momentos mais ricos, pois, muitas vezes, saímos da nossa posição de orientadoras de campo para usuários, de protagonista para telespectador, visto que é nesse momento que o estagiário assume o papel principal e observamos a evolução deles. Pegamo-nos, muitas vezes, pensando em como tornar esse momento rico, assim como foi pra nós, enquanto estudantes, entendendo que ele é primordial para a formação dos futuros profissionais e colegas de trabalho. Assim, podemos dizer que queremos o melhor e aprendemos muito. Afirmamos que essa é uma atribuição privativa e extremamente importante do assistente social.

Terça, 11 de Dezembro Variedades por Eduardo Passaia

Refletindo com Eduardo Passaia

Vamos empreender? 

Ei, falar mal de patrão sem nunca ter sido é muito show, né não?

"No Brasil existem 6,4 milhões de estabelecimentos. Desse total, 99% são micro e pequenas empresas (MPE). As MPEs respondem por 52% dos empregos com carteira assinada no setor privado (16,1 milhões)". fonte: Sebrae.

Me causa indignação quando vejo pessoas que nunca sequer foram patrões ou mesmo empregados efetivos em uma empresa da iniciativa privada, no máximo autônomo, praticando o discurso de ódio aos empresários e patrões do país. 

A demonstração de ignorância do que vive um empreendedor brasileiro, ou até mesmo o próprio empregado destes patrões que obrigatoriamente largam deficitário de um Estado esfomeado pelo seu dinheiro, em inúmeras formas de taxas, impostos e tributos, usando e abusando de uma burocracia estagnante e proibitiva de crescimento, além de uma infindável, inexpugnável e indecifrável quantidade de normatizações fiscais.

Apenas para ilustrar, aqui no nosso querido Brasil, há um milhão de páginas A4 de códigos tributários, levando com que as empresas gastem mais de duas mil horas para cálculos de seus tributos. Isto tudo é custo repassado aos valores finais dos produtos.

Será que este povo realmente não entendeu que a famigerada luta de classes, praticada nos dois últimos séculos morreu de inanição e levou à morte milhões sem qualquer resultado benéfico? Quantos empreendedores precisaremos levar à falência, junto com uma enormidade de empregos que vão para a vala comum, para entendermos que quanto melhor pro empregador, melhor pro empregado? Quando estas figuras esdrúxulas entenderão que sem empregadores satisfeitos, nunca teremos empregados satisfeitos? Quando entenderão que os únicos geradores de riquezas no nosso país, são as pessoas, os indivíduos e não o Estado? Este, aliás, apenas suga a riqueza produzida por nós.

Quem ainda tem coragem de dizer que para haver os ricos, deve-se haver obrigatoriamente os pobres?

Esta santificação das leis trabalhistas (CLT) no Brasil, geraram um atraso incomensurável ao país. Leis fascistas, da década de 40, aplicadas num mundo completamente diferente, ultra competitivo, constantemente em mutação e busca incessante da produtividade, apenas impedem a criação de mais empregos.

O Brasil deve se libertar, o mais rápido possível, de instituições quadradas e presas ideologicamente ao passado e buscarmos a equiparação às nações mais produtivas, onde não existem amarras ao contrato direto entre empregadores e empregados, onde não existe a intervenção estatal exagerada, que com a desculpa de “proteger o oprimido trabalhador”, pune o “empresário malvadão”. Onde não existe uma Justiça Trabalhista que não funciona como justiça e sim como advogada na maioria dos casos.

Quantos empregos estes burocratas sustentados pelas benesses estatais, sentados em escritórios luxuosos, impedirão de serem criados, quantas empresas levarão à falência e quantas famílias deixarão de ser beneficiadas, até entenderem que o Brasil precisa se modernizar?

Terça, 11 de Dezembro Variedades por Fco Evangelista

Recado de Francisco Evangelista

Tenha uma terça-feira plena de saúde amor paz harmonia esperanças e alegrias sempre crescentes e sempre novas!

*REFLEXÃO MATUTINA*

CONTROLE DA MENTE

 _"Domine suas palavras, domine seus pensamentos, não machuque ninguém. Siga fielmente essas orientações e avance no caminho dos sábios."_ 

 *Buda* 

A maior vitória que podemos alcançar é sobre nós mesmos. Para isso, precisamos controlar a própria mente.  Devemos controlar nossos pensamentos, eles não devem ir para lá e vir para cá, como ondas agitadas no mar. Talvez pensemos que somos que é incapazes de fazer isso. Mas há uma resposta para isso: nós não podemos proibir que uma ave nos sobrevoe, mas certamente podemos evitar que ela faça um ninho em nossas cabeças.

Terça, 11 de Dezembro Variedades por Casa Durval Paiva

Casa de Apoio à Criança com Câncer Durval Paiva - selo DOAR

Casa Durval Paiva tem mais um grande motivo para comemorar, dessa vez, temos a alegria de compartilhar que fomos reconhecidos mais uma vez pelo Instituto Doar. O Selo Doar (Conceito A+) é um Certificado que atesta sua adequação ao Padrão de Gestão e Transparência do Terceiro Setor.

 

O Selo tem validade de um ano e busca como principais objetivos: incentivar, legitimar e destacar o profissionalismo e a transparência nas organizações não governamentais brasileiras, na forma de um atestado independente de sua adequação aos Padrões de Gestão Profissional e Transparência (PGT), também denominado Selo Doar.

 

Sobre a Casa Durval Paiva

 

Há 23 anos a Casa Durval Paiva atende à criança e ao adolescente com câncer e doenças hematológicas crônicas e seus familiares durante e após o tratamento, buscando a cura, contribuindo para o resgate da cidadania, dignidade e a qualidade de vida. Nesse período, a instituição já beneficiou 1.517 pacientes. Hoje, a Casa possui 1.102 pacientes cadastrados, sendo que 540 estão em tratamento. Saiba mais sobre o trabalho da Casa em:www.casadurvalpaiva.org.br