Quinta, 08 de Novembro Meus escritos por Flávio Rezende

15 anos de bons frutos: ong Baobá do mestre Haroldo Mota

Não sei se ainda rola, mas na minha juventude, 15 anos de gente que podia, era dia de festa, valsa e tudo o mais. A data também é motivo de júbilo para muitos, como casais que alcançam esse feito, amigos do pré e por ai rolam os festejos por motivos diversos.

Hoje estou participando como homenageado, junto com almas verdes e ótimas como Aristotelino Monteiro, Diógenes da Cunha Lima, Glácia Marillac, Gustavo Szilagyi, Magda Guuilhermino e Maurizélia de Brito Silva, da sessão solene alusiva aos 15 anos da Ong Baobá, que ao ouvir o som e ler a grafia, logo remetemos feito link direto, ao seu fundador, mantenedor, batalhador, regador e propositor, Haroldo Mota, alma que planta, que mantém, poda, luta e faz tudo para que o verde continue tendo vez em nosso amado planeta azul.

E nessa formatação de ações, invenções diversas para que o assunto esteja sempre em pauta, o Mota é que deve ser homenageado, que deve ser reverenciado, aplaudido, festejado. Alma translúcida, querida, alegre, cheia de vida, tem forma humana mas alma de planta, e por isso encanta e deve ser sempre cuidado.

Daqui, do meu canto, canto loas a sua existência alma verde/zul/amarela, que do Brasil faz parte como patrimônio e, no coração dos amigos, sempre cresce em gigantismo que só um Baobá, pode ser fiel, em tradução.

Te amo irmão, muita luzzzzzzzzzzzz

COMPARTILHE