Terça, 13 de Março Meus escritos por Flávio Rezende

Escritos Cariocas - luzes dentro e luzinhas fora

O meu domingão no Rio foi da praia a Santa Tereza, onde guiado por Isabel e Camila, subi degraus em direção ao templo do casal Isabelle Cabral/Sergio Cezar.
A dupla nos recebeu carinhosamente, bem ao estilo carioca, com direito a sorvete, água gaseificada, azeitonas, panetone, líquidos variados, tudo temperado com atenção e papos diversos, proporcionando um pequeno panorama do modus vivendi da dupla, com conceito e serviços prestados a cultura fluminense e nacional.
Belinha, como chamo por amizade antiga cultivada em Natal - onde morou, transita pelo mundo cinematográfico, com sua produtora Pipa fazendo e acontecendo em eventos e festivais.
Sergio, famoso antes - e mais ainda depois, da abertura da novela global Duas Caras, é multiartista, especialista em maquetes com material reciclado e outros babados mais, com o casal formando um par em constante movimento.
De mãos dadas percorrem países expondo, e assim vão cimentando amizades e formando uma network sadia e segura, que os projeta e impulsiona para mais criações e obras.
Entre um olhar e outro para o bairro, contemplando as luzinhas lá fora, observo a luz de dentro de Sergio,  comentando sobre certos preconceitos devido a sua negritude, revelando planos, com Belinha mostrando o belo apartamento triplex, em processo ainda de ocupação, com definição de funcionalidades e de finalidades, tendo em seu porvir, vir a ser, um espaço cultural com outras serventias mais.
É maravilhoso estar entre artistas, vê-los rebolar com reggae, celebrar com Marley e refletir com  um Drão Gilbertiniano.
Apesar de beber na fonte dos artistas, chega a hora do adeus, mas nunca se parte vazio após encontro com almas produtivas.
Uma tarde assim é um encher, um preencher de regozijo e prazer, afinal estar na companhia de fazedores artísticos é gozo cósmico, elevação, nirvana, plena satisfação.

Flávio Rezende aos treze  dias, terceiro mês, ano dois mil e dezoito. 10h15.
Cidade do Rio de Janeiro.

COMPARTILHE