Segunda, 06 de Agosto Meus escritos por Flávio Rezende

Escritos da Alma - amor existencial

Quando olho o céu, sempre fico feliz. Geralmente azul, tenho predileção de curtir como ele está em todo lugar que vou. Às vezes mais e às vezes menos blue, ele até cinza faz bem, pois se assim está, água que é bom vem.

O sol é um lance super, hiper, legal. Adoro sentir sua presença na pele e o resultado depois. Geralmente me acho mais bonito bronzeado. Sua presença realça as cores, empresta clareza, boa visão, torna os passeios felizes, os dias iluminados, a vida pulsa com seus benfazejos raios.

A terra é vasta, querida, segura. Andando por sobre areia, barro, pedras, planícies e planaltos, montes e montanhas, recebemos aquela energia da casa onde estamos, e moramos, e amamos pertencer.

O ar suaviza, inebria, acalma o calor, realça o frio, faz passar o que precisa, nos traz o que vem de lá. O ar, maravilhoso seu estar, chegar, partir.

A água é meu símbolo maior. Nela mergulho, seja salgada, doce, personificada em rio, mar, lago, chuveiro, piscina, com qualquer moldura, espaço ou temperatura, é bálsamo, remédio, sempre exemplar.

Temos acima, abaixo, ao lado, por todos os cantos e recantos, imensas oportunidades de felicidade, basta perceber que está dentro de nós o ponto de partida para essas pontes, o acender do interruptor da alma para essas conexões.

Se está triste, deprimido, não percebendo muito sentido em nada, te receito o sol, a terra, o ar, o mergulho no mar.

Se aceitar, vai divinizar, brilhar, esbaldar, rejuvenescer, viver, realmente amar.

Luzzzzzzzzzzzzz

COMPARTILHE