Please enable JavaScript to view the comments powered by Disqus.
Quinta, 23 de Novembro Meus escritos por Flávio Rezende

Escritos da alma – Aniversário de Sai Baba, o avatar do amor

Quando tinha ai meus 19 anos, frequentador assíduo da Praia dos Artistas, jogador de frescobol, futebol de mesa, fã de poesia e leitor voraz de livros, recebi um deles das mãos da Marília Mesquita, hoje residente em Londres.

Era um livro de Rajneesh, com dez histórias zen. Até então misticismo não tinha obtido muita atenção, mas após a leitura do livro, como num passe de mágica, “endoidei” pela Índia, zen budismo, meditação, ioga, alimentação natural etc.

A coisa foi crescendo e me absorvendo a um ponto, que terminei indo bater na Índia, intencionando passar um tempo em Pune, onde Bhagwan Shree Rajneesh, que depois mudou nome para Osho, residia e mantia uma multiuniversity.

Foi chegando à Nova Deli e ele desencarnando. No mesmíssimo dia. Desisti de ir e como tinha conhecido uns devotos de Krishna, fiquei batendo perna por outras cidades da Índia e do Nepal, até descer ao sul onde passei um tempo no ashram de Sathya Sai Baba.

Fiquei por ali observando, perguntando a um e a outro qual era a dele e voltei ao Brasil, onde passei a ler mais sobre swami, principalmente livros do professor Hermógenes, seu primeiro devoto verde e amarelo.

Como os ensinamentos de Osho eram muito radicais e os de Baba mais amorosos, a idade vai nos acalmando e naturalmente a gente vai deixando aquele vulcão revolucionário de lado, migrando para posturas mais calmas e atitudes mais humanitárias.

Sai Baba desenvolvia um trabalho social intenso e focava muito na área educacional, chegando a criar o método Educare, de educação em valores humanos.

Lendo e entendendo mais Baba eu fui indo, criei a Casa do Bem, passei a gostar muito de amar a todos e servir a todos e mergulhei de cara em sua seara. Como na época tomava umas biritas, fumava um mato e outros babados mais, comecei a ficar incomodado e pedi a swami para conseguir transcender tudo isso. Foi vapt vupt. Numa noite onde o pedido foi bem intenso, adormeci e quando acordei experimentei o que chamam de uma graça alcançada. Nunca mais usei nada disso e se minha relação com ele era super, virou big.

Voltei à Índia, fundei um centro de estudos e de meditação de Baba na minha casa, depois descobri que já tinha um aqui em Natal na casa de Getúlio, fechei a que coordenava e me associei ao Grupo Sathya Sai de Natal, seguindo devoção até hoje.

Adoro Krishna, Jesus, curto tudo, mas é com Sai Baba que tenho minhas conversas mais profundas, que faço meus pedidos mais barras e com quem dialogo diariamente sobre a vida.

Quando perguntam o que sou nessa área espiritual, digo, sou devoto de Sai Baba, simpatizante de Krishna, Jesus etc., seguindo assim numa felicidade só, de estar associado a uma ruma de almas boas.

Seus seguidores acreditam que Baba veio como Sai Baba de Shirdi, nesta recente como Sathya Sai Baba, já tendo desencarnado em 24/4/2011, devendo voltar no futuro para cumprir sua última encarnação na Terra, como Prema Sai.

Muita coisa pode ser dita de suas materializações, milagres e feitos impressionantes. Neste sítio https://www.sathyasai.org.br/ a curiosidade pode ser saciada.

Hoje, dia 23, nós, seus devotos, comemoramos 91 anos de aniversário. Tem feito bem a um monte de gente de vários países. Seus projetos, universidades, escolas, métodos, continuam vivos e ativos.

Pense numa alma boa que me faz um bem danado. Swami, parabéns, volte logo e vamos em frente. Gostaria muito de encarnado estar com o Senhor novamente, em Missouri, para mais uma vez sentir a presença de um avatar, me encantar, evoluir, amar...

 

Om Sai RAM

Flávio Rezende aos vinte e três dias, mês onze, ano dois mil e dezessete. 12h49.