o espaço das minhas coisas

Segunda, 03 de Fevereiro Meus escritos por Flávio Rezende

Escritos da Alma - escravos cósmicos

Domingo de tarde tive o prazer de estudar com Mel um pouco de geografia e história, matérias top de linha em meu passado de aluno.

Depois foi a vez de desfrutar da companhia de Gabriel, curtindo e vibrando com mais uma vitória do nosso ABC sobre a razão de nossa existência futebolística, o América. Com um domingão assim dormi um pouco mais, acordando além do ponto, mas igualmente disposto e ao fumegar o café e degustar a torrada, usei passe livre de Deinha para três dias na Pipa, montei no Kicks cedido por meu filho e, animado parti com destino Pipa, passando antes em Arez, Piau, Umari tirando fotos, até chegar num pit stop na bela Tibau do Sul, sede do município que tem Pipa como a jóia da coroa. Sentado na beira-mar editando fotos observo em volta e percebo todos manuseando o celular, inclusive eu.

Pensei na escravidão que passamos, todos nós ligados cada vez mais a este aparelho mágico, senhor dos nossos sonhos e desejos, máquina manipuladora de atenções mundiais, dos mais geniais, aos bestiais, perpassando raças, etnias, sexos, pegando todo mundo e escravizando democraticamente.

O juízo então conectou no babado escravização e lembrou do potiguar Jan Val Ellam, que vem nos alertando que o tal criador Javé, ou Yahweh, Jehovah ou Jeová, num determinado momento da criação deste espaço que habitamos e das coisas que aqui existem, deu uma vacilada e passou a ser parte do criado, ficando escravo do que fez, causando crescente incômodo ao mesmo e ira pelo ocorrido.

A partir daí, escravo, passou a realizar uma série de ações, escolhendo profetas e povos como preferenciais, tomando decisões nada santas, sem no entanto ser peitado e confrontado, como faz corajosamente Ellam, sendo o mesmo não compreendido no tempo em que relata verdades, tendo sido assim como Kardec, e agora como Jan.

Se o criador é pois - escravo da criação, a história que revi com Mel, pródiga em passagens de escravidão de negros, judeus, pobres, mulheres, doentes, africanos, apenas revela esse DNA que herdamos, uma vez que muitos de nós livres, incorporamos naturalmente formas de escravidão, como se estivéssemos contaminados pelo vírus da dominação.

Bem que Gautama, mais de cinco mil anos atrás, quando o celular era um mero exercício de profeta doidão, disse: "A mente é tudo. O que você pensa, você se torna. Somos moldados por nossos pensamentos; nós nos tornamos aquilo que pensamos.

Quando a mente é pura, a alegria segue como uma sombra que nunca vai embora. Não habite no passado, não sonhe com o futuro, concentre a mente no momento presente." Sidarta Gautama (Buda) É isso, se queres deixar a escravidão nos livros de história, molde seu pensar para a liberdade e voe como um pássaro em direção a uma vida feliz.

LuzZzzz

Flávio Rezende aos três dias, segundo mês, ano 2020. 15h34.

Praia de Tibau do Sul 

COMPARTILHE