o espaço das minhas coisas

Domingo, 18 de Agosto Meus escritos por Flávio Rezende

Escritos da Alma - gratidão como ponte para a felicidade -

Acordo cedo e muito bem disposto. Fumego meu café misturado de pequenos sachês levados de hotéis americanos, como goiaba, abacaxi e queijo branco com geléia, partindo sem demora para eternizar a mesa de aniversário da nossa cadela Lola, que receberá convidadas de Mel logo mais, para vivas e velas de feliz vida canina.
Como o turno da manhã está em aberto, monto minha PCX e vou visitar primos que torcem pelo restabelecimento da saúde de uma tia, partindo depois para uma turnê de banho de mar, fotos e produção textual no Mercado da Redinha, local que me leva a introspecção na observação da Ponte de Todos, hoje conhecido point de the end para a vida de alguns. 
E foi pensando em uns que partiram, por decisão pessoal ou por motivos vários, que refleti sobre o quanto sou feliz.
Matutando nos motivos pelos quais isso ocorre, deixando de lado questões espirituais como leis de ação e reação e nascimento privilegiado, além de esforço próprio e disposição ao trabalho constante, identifico na gratidão permanente, a ponte da felicidade, uma vez que sempre agradecendo a existência por tudo, teço os fios da humildade reverente e torno viável a vestimenta que me protege das intempéries da vida negativa, promovendo assim a passagem tranquila e repleta de amor no coração e boas ações no existir. 
Agradecer tem sido minha oração cotidiana e reconhecer tudo que me é possível e caro, a bênção primordial da felicidade que tanto tento compartilhar. 
E lançando olhar para o alto da ponte, de onde se debruçam seres em desesperadas atitudes, envio sutilmente para cada ser vivente, a emanação que a gratidão reside em tudo, não só nos - que como eu, navegam num mar favorável, como existe no simples fato de estarmos tendo a oportunidade de vivo estar.
Se alguns passarem a ver a gratidão como ponte para o pulo correto das aflições diversas, o porvir não será o fim, e sim, um continuar, feliz, cheio de possibilidades, novidades, novos horizontes a vivenciar. 

Flávio Rezende aos dezoito dias, oitavo mês, ano dois mil e dezenove. 12h50. Praia da Redinha.

COMPARTILHE