Domingo, 28 de Janeiro Meus escritos por Flávio Rezende

Escritos da Alma - redirecionando energia para a família -

Hoje acordei mais cedo que o normal, e decidi fumegar o café na big boca do fogão herdado.
Observando a chama bem acima da média e relembrando coisas de mamãe, uma vez que o fogão veio com seu DNA, lembrei que poucos anos atrás estava envolvido em intensas atividades sociais, carnavalescas, jornalísticas e literárias.
Estava sempre lançando livros, possibilitando blocos na rua, fazendo muitas assessorias de imprensa e formulando e colocando em prática inúmeros projetos humanitários.
Observando minha pressa, constantes ligações telefônicas e compromissos diversos todos os dias, mamãe dizia: - meu filho baixe esse fogo, se acalme, parece até que o mundo vai se acabar.
O tempo passou e a divindade parece ter trocado a boca do fogão celestial que me incendiava e, hoje, numa boca mais calma, estou imerso mais em atividades familiares, dando bem mais atenção a esposa e filhos, podendo em vida, ter servido aos meus amados pais em suas últimas necessidades.
Lentamente fui trocando a publicação dos livros e suas demandas por posts nas mídias sociais, valorizando a vigilância política para que possamos colocar nos eixos novamente nossa pátria tão destruída, fui saindo de blocos mais complexos para um mais simples e espiritual como o Cores de Krishna, que não tem apelo comercial, fui renunciando a assessorias, estando agora de corpo e alma com a família, em viagens, passeios, indo as formaturas, apresentações, assistindo jogos com Gabriel, gravando fantoches com Mel, além de estar sempre papeando e tomando cafezinho com Deinha.
Claro que não deixei nada totalmente para trás, mas a dosimetria mudou e sentenciei de maneira positiva uma pena alternativa pró família, cumprindo a mesma com renovado prazer e crescente satisfação.
Quando tenho um olhar retrô fico satisfeito com o que fiz. Quando observo o presente, igualmente sinto êxtase e bem estar.
Miro o futuro em meus devaneios, me vejo cada vez mais escritor, andarilho, pai amoroso, filho agradecido, irmão solidário, cidadão vigilante e ser humano em busca de evolução.
Agradeço a todos que na minha vida são pontes, boings, caminhos.
Juntos construímos belas trajetórias, esperando ofertar nesta existência material, algo que possa ter também, reflexos no espiritual.
Perdão aos que ficam incomodados com algumas posições, mas elas emergem de nossas reflexões e não posso fraudar meus sentimentos. Minha sinceridade pode incomodar, mas meu silêncio seria pecado, omissão, portanto, releve, me tenha como irmão, apenas com um pensamento divergente, quem sabe um dia a gente veja a unidade na diversidade, e viver será só festejar.
Luzzzzz.

Bom domingo a todos.

COMPARTILHE