Segunda, 29 de Outubro Meus escritos por Flávio Rezende

Eu estendo as mãos

EU ESTENDO AS MÃOS
 
O processo eleitoral finda e já faz um bom tempo - na verdade desde o mensalão, que estamos em querelas políticas, com fraturas constantes nas amizades, relações, afetando ambiente de trabalho, mídias sociais e, todos os lugares que frequentamos e convivemos.
Pessoalmente, desde que percebi o meu antigo amor, o PT, enredado na mesma corrupção dos que tanto condenamos, um sentimento de traição me dominou, levando meu ser a passar a ter um ativismo político, que andava adormecido, uma vez que pensava estarem às coisas caminhando como deveriam.
Um dos pecados do meu antigo partido foi o de não aceitar a crítica dos chateados e, nem a oposição dos demais, passando a esculhambar de maneira violenta e chamar a tudo e a todos de uma ruma de coisas terríveis, sabendo que cada um de nós, simples opinadores das coisas da vida, que não somos isso - mesmo que alguns sim o são, mas a generalização irritou, levando muitos de nós, simples mortais, almas ainda em evolução, a revidar também, passando a chamar os ainda petistas de petralhas e outros babados mais.
Por todos os chamamentos e generalizações, peço aqui publicamente perdão, estendendo minhas mãos, para que juntos possamos avançar e apoiar o novo Brasil que emerge das urnas.
Não sou bolsonarista. Fui comunista, emedebista, petista, verdista, marinista e hoje flerto com os novistas do Partido Novo, votando em Bolsonaro por ter sido a única opção anti PT, que na minha avaliação precisava ser afastado do ambiente político no que diz respeito à gestão. Deixa o PT na oposição.
A partir de agora estarei atento, crítico no que for preciso e, aos amigos que perdi, aos que me excluíram, ridicularizaram, me chamaram de fascista, meu perdão, pedindo em troca o de vocês.
Como disse inúmeras vezes, não estou na folha de pagamento de ninguém, não sou filiado a nada, sou livre, tenho opinião e, reconheço que em alguns momentos fui indelicado, mandei para aquele canto, excluí, disse grosserias, por tudo isso peço desculpas e estou pronto para o abraço amigo e o encontro fraterno.
Vamos em frente, Brasil acima de tudo.
Luzzz

COMPARTILHE