Quinta, 17 de Maio Variedades por Artur Garcês

Grupo de Dança Popular do Marista vai competir no maior festival de dança do mundo

 Grupo de Dança Popular do Colégio de Marista de Natal foi aprovado mais uma vez para a Mostra Competitiva do Festival Internacional de Dança de Joinville, reconhecido como o maior evento de dança do mundo, reunindo grandes coreógrafos, bailarinos e curadores de renome nacional e internacional.  

Entre as propostas inscritas no festival, foram selecionadas as coreografias Nação, que é dançada em conjunto e faz uma releitura do maracatu estilo nação de Pernambuco, e Vou casar, mas espere que antes vou frevar, um solo de frevo interpretado pela educanda Anna Clara Lopes. Estas, pertencentes a Categoria Júnior – idade 13 a 16 anos e no Gênero Danças Populares foram aprovadas para a Mostra Competitiva.

O Grupo também foi selecionado para realizar apresentações em Palcos Abertos,  com as danças: Pau Furado de um Zambê, Baque, Estandarte do Baque, Terreiro de um Zambê e Oxe, Oxente.  Pela primeira vez a companhia de Dança Les Bavard foi selecionada para o evento, em Palcos Abertos com a coreografia Dança Khalige. A professora Eliete Monteiro, ademais, foi aprovada para a 2ª chamada do Palco Principal com a coreografia Tribal Bellydance Fusion.

O professor de dança do Marista, Artur Garcez, ressalta a importância da participação de um Colégio Católico de Educação Básica no desenvolvimento da dança popular. “A gente trabalha a base, desenvolvendo um projeto de dança e educação dentro da escola, e estamos num espaço de dança profissional com companhias tradicionais dedicadas exclusivamente a essa arte. Então é uma grande vivência e aprendizado para as nossas estudantes e bailarinas”, afirma.

O Marista de Natal já foi premiado em 2006, ficando em 3º lugar, em 2008, novamente em 3º, e em 2017, arrebatando a 2ª colocação. Em 2018, as bailarinas do Colégio passaram por um processo seletivo em que 3.320 vídeos foram enviados para a primeira triagem e 540 foram selecionados para a fase final com a curadoria de Thereza Rocha, Ana Botafogo e Caio Nunes.

Agora é esperar julho chegar e fazer as malas para torcer pelas nossas bailarinas. Contamos com a torcida de toda a comunidade educativa!

COMPARTILHE