o espaço das minhas coisas

Quarta, 06 de Novembro Que Situação por Flávio Rezende

Que situação, rapá...

Assistindo algumas séries sobre o passado, fico estarrecido com a violência gratuita dos antepassados. 
Hoje, mesmo com regulações e certas regras, ainda temos jogo bruto na área. 
Aqui no Brasil ando muito preocupado. Das fronteiras chegam fumaças não de queimadas amazônicas, mas de barricadas ideológicas. 
Aqui dentro temos um governo reformador e incendiário ao mesmo tempo. Neste cenário o pavio curto pode ser aceso, e tudo feito, desfeito. 
Nesse cenário incerto, todos os lados acham que tem razão em suas posições. 
Sei não, ando pensando que a sina do terráqueo em geral é de pequenos espaços de bem aventurança e, muitos de, desesperança e destruição. 
E o pior é que em meu interior, ando pensando que esse lance de extraterrestre é balela. Somos só nós e - em sendo, vamos indo devagar mesmo, uns poucos passos adiante, muitos atrás. 
Sem a esperança de que o que está além de fato existe, fica nossa incompetência na harmonização redentora.
Particularmente sou feliz, mas podia ter muito mais gente igual por perto. 
Que situação, rapá...

...

Uma pessoa pega dinheiro das outras propondo um negócio que chamamos popularmente de pirâmide, e que historicamente termina em ruínas. 
Para provar que funciona o idealizador aparece bebendo bem, viajando sempre, luxando muito, isto é, gastando tudo. 
Como alguém livre das ilusões promovidas por dinheiro fácil e vida de rei acredita num negócio assim?
Um amigo corajosamente afirmou num post que acha é bom quem se lascou. 
Não tenho essa coragem, mas vejo certo sentido no que ele postou. 
Que situação, rapá...

COMPARTILHE