o espaço das minhas coisas

Quarta, 12 de Fevereiro Variedades por Opinião

Reflexão de Hildo Oliveira

TUMULTO À DIREITA

É, no mínimo, contraditório ouvir a expressão “Direita Conservadora" da boca de oportunistas que se acham seguidores dos bons costumes e detentores de honestidade para servir ao País. Os caras falam pelos cotovelos sobre o que não entendem. E, é assim no PSL por todo o Brasil, mais especificamente no RN. Logo que o Presidente Bolsonaro passou a não se entender mais com o presidente nacional do partido, Luciano Bivar, e anunciou a criação do novo partido Aliança Pelo Brasil, uma avalanche de parlamentares e filiados de última hora desencadeou uma marcação cerrada pra não ficar fora da "fita". E assim foi. 

Pessoas influentes com o Presidente da República discordaram do tal "apoio" por considerarem que o discurso de alguns desses pretensos filiados não condiz com a linguagem da nova legenda. Daí, agora, o Aliança não terá candidaturas ao Pleito de 2020, frustrando aqueles que se achavam aliados à nova proposta da direita no País. Talvez não tenham mais sucesso os "ex-pesselistas", que estavam de malas prontas para o embarque no Aliança.Tudo indefinido entre os expulsos e os oportunistas. 

CAMINHO DA VOLTA

 Pré-candidaturas a vereadores e prefeitos para 2020 já estavam sendo formadas e negociadas com ex-ocupantes do PSL-RN, logo após o abandono ao partido pesselista. Agora tentam aportar às origens para não ficar de fora das eleições. Sem sucesso. Eleições com o Aliança pelo Brasil só em 2022, mas terão de passar pelo crivo da alta cúpula do novo partido, em Brasília. 

COMPARTILHE