Terça, 27 de Novembro Vídeos da Vida por Flávio Rezende

Uma alma especial entre nós: Marcelo Buainain

Marcelo Buainain, uma alma focada

 

Minha irmã Leila diz que basta surgir em minha mente um tico, que num teco faço um texto. Pois estando para escrever, eis que vejo no zap o vídeo Odoyá, revelando a poluição no mar.

É uma produção de Marcelo Buainain, um fotógrafo/documentarista, natural de Campo Grande/MS, residente em Natal, mas um cidadão planetário, cheio de ternura e vontade de revelar os melhores ângulos do planeta, às vezes pelo lado belo, como também pelo negativo, para que na avaliação de que isso não presta, avancemos para o polo positivo, que ele acha necessário atingir.

Conheci Buainain no Encontro da Nova Consciência, num carnaval em Campina Grande, onde fui palestrar. Depois ele veio para Natal, adquiriu propriedade, casou com Patrícia, procriaram, e o criativo profissional, deu continuidade a sua gloriosa carreira, acrescentando vídeos, tendo sobre o iogue Hermógenes, KRAKOW - FIRST ENCOUNTERMi Amas Vin, Bravos do Remo,entre outros.

O cabra é gente boa demais, famoso mundialmente, tendo começado fotojornalista, com passagens pelas revistas Manchete, Veja, Isto É, El Paseante e na Folha de S. Paulo. Se o assunto for prêmios, já coleciona vários.

Quer alguma declaração? Eis: “cresci no seio de uma classe privilegiada com acesso à educação, saúde, alimentação e formação ética. Em contrapartida, os locais e personagens que documento são privados das necessidades mais básicas que asseguram a dignidade humana. Essa dicotomia de realidades provoca um questionamento mais amplo, ultrapassando as fronteiras do meu self.”

Um pouco mais? Eis: “se fotografar é escrever com a luz, nada mais natural do que interpretar uma foto, ler uma imagem. A fotografia capta um instante; um momento; uma paisagem; um rosto. Um ou muitos personagens. A fotografia apreende tanto o discurso quanto o silêncio. E, ao fazê-lo, ela não apenas cria, como narra uma história. Como todo texto, a fotografia só existe, e se completa, quando exposta a novos olhares, a novas perspectivas e a novas expectativas, além daquelas originais do fotógrafo-autor. É o espectador quem conclui um ciclo – que reproduz o instante ao infinito.”

Vale muito visitar seu site, mina preciosa, cheia de deslumbramentos. Eis o caminho:  http://www.buainain.com/

COMPARTILHE